Unicef revela que quase 100 mil crianças angolanas sofrem de desnutrição aguda grave

(AP)

Directora para África Austral e Oriental encontra-se hoje com vice-presidente Manuel Vicente.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) revelou que quase 100 mil crianças angolanas sofrem de desnutrição aguda grave devido à seca que afecta sobretudo o sul do país.

“Estima-se que mais de 756 mil crianças estejam afectadas pela seca no país, provocada pelo fenómeno ‘El Niño’, das quais, mais de 95.877 sofrem de desnutrição aguda grave”, revelou aquela agência da ONU nesta segunda-feira, 16, quando chega a Luanda a directora para África Austral e Oriental para conhecer a forma como o Governo angolano tem respondido à epidemia da febre amarela e o impacto das alterações climáticas no sul do país.

Leila Pakkala é acompanhada do representante regional para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (Ocha), Pete Manfield, e ambos serão recebidos nesta terça-feira, 17, pelo vice-presidente Manuel Vicente.

O Sistema das Nações Unidas em Angola está a realizar intervenções em estreita coordenação”com o Governo central e os governos das três províncias mais afectadas pela seca dos últimos três anos: Cunene, Namibe e Huíla.

O Unicef revelou que, juntamente com a Organização Mundial de Saúde, está a apoiar a aquisição atempada das vacinas destinadas à campanha em curso em Angola, bem como no reforço da cadeia de frio com a obtenção de caixas de conservação e transporte de vacinas.

A agência indicou ainda que está a participar “também na mobilização de recursos financeiros substanciais complementada com a intervenção atempada da OCHA”, através da sua janela de financiamento de emergência. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA