Tesouro britânico alerta para recessão em caso de ‘Brexit’

George Osborne (centro) assiste à entrevista da diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, no Departamento do Tesouro, em Londres, em 13 de maio de 2016 (afp_tickers)

Deixar a União Europeia (UE) provocará “anos de recessão” na Grã-Bretanha – alertou, nesta segunda-feira, o ministro britânico das Finanças, George Osborne, no momento em que a campanha pega fogo a um mês do referendo sobre uma possível “Brexit”.

De acordo com o estudo apresentado pelo Tesouro britânico, deixar a UE causará um “choque imediato e violento” na Grã-Bretanha, afectando o crescimento económico.

“A exactamente um mês do referendo (em 23 de Junho), o povo britânico deve se perguntar: podemos, com conhecimento de causa, votar por uma recessão?”, questiona Osborne, em comentário que acompanha a publicação do Tesouro.

A análise prevê dois cenários, caso os eleitores escolham a “Brexit, junção, no inglês, de “Grã-Bretanha” e “saída”.

O primeiro é um “cenário de choque”, que veria o PIB perder 3,6% em relação à sua previsão há dois anos. O segundo é um “cenário de choque violento”, no qual a perda seria de 6%.

Recentemente, Osborne e o primeiro-ministro David Cameron multiplicaram as previsões sombrias de uma eventual “Brexit”. Na mesma linha, as grandes instituições nacionais e internacionais decretaram alerta geral e vêm aumentando as advertências contra a saída do bloco.

Enquanto o Banco da Inglaterra evoca a possibilidade de uma “recessão técnica”, o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê um “risco importante para a economia mundial”. Os departamentos do Tesouro dos países do G7 também temem um “choque”.

Para Iain Duncan Smith, um cacique do Partido Conservador de David Cameron, a análise do Tesouro “não é um estudo honesto, (…) mas orientado”.

Até o momento, pesquisas de opinião apontam que os partidários da manutenção do país na UE devem vencer o referendo. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA