Surgimento da Academia de Letras dinamiza literatura nacional

Carmo Neto, Secretário Geral da União dos Escritores Angolanos (Foto: Francisco Miúdo)

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), Carmo Neto, disse, em Luanda, que o surgimento da Academia Angolana de Letras (AAL) vai impulsionar o desenvolvimento da literatura nacional.

Em declarações à Angop, Carmo Neto referiu que instituições como estas surgem com outra dinâmica no que diz respeito ao desenvolvimento da literatura angolana.

O também escritor disse que a AAL é uma instituição mais exigente no que no se refere a selecção dos seus membros, bem como a qualidade de obras a serem produzidas ou tê-las como prova evidente da sua criatividade, qualidade e capacidade de agir enquanto homem das letras.

No seu entender, é um nível diferente que atinge um patamar para além de uma associação dos escritores.

“É uma associação livre na qual os membros criam naturalmente os requisitos para as quais devem ser admitidos ou não”, afirmou.

Para Carmo Neto, a UEA e a AAL são duas instituições que embora semelhantes podem coexistir independentes e autónomas.

De acordo com o responsável, a constituição da Academia Angolana de Letras vem corresponder aos ímpetos de uma sociedade angolana cada vez mais engajada com a sua identidade, história, cultura e pensamento, bem como reforçar o pensamento angolano no espaço nacional – quer pelo ensino, quer pela investigação – e espaço internacional – quer pela promoção, quer pela divulgação

A Academia Angolana de Letras (AAL) é a mais recente associação cultural formalmente constituída, que tem por finalidade o estudo e a investigação da literatura angolana, da língua portuguesa, das línguas nacionais, e das disciplinas correlatadas. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA