Soba quer mais valorização do tribunal tradicional

Foto: David Dias (Foto: David Dias)

O vice-presidente provincial da Associação dos Sobas do Moxico, Raimundo Tchilefe Muakanhika, apelou quinta-feira, no Luena, a sociedade no sentido de valorizar o papel do tribunal tradicional por dirimir conflitos extra-judiciais e tradicionais.

Em entrevista a Angop, o soba disse que o tribunal tradicional existe para julgar casos sem respostas na “lei convencional”, sobretudo, factos de feitiçaria e outros etnolinguísticos, daí advogar a sua valorização.

“Os cidadãos devem valorizar mais o poder tradicional porque é reconhecido na constituição, por ter uma função política resultante da influência que exerce junto da população e jamais abdicaremos das nossas funções”, disse.

Disse serem muitos os casos registados no tribunal tradicional e são resolvidos com êxito, sendo alguns encaminhados para o tribunal convencional.

Desaconselhou a população a resolver os problemas por mãos próprias, pois o tribunal tradicional do Moxico existe há um ano, dando respostas aos conflitos registados nas comunidades, contando com regedores, sobas e sobetas.

De acordo com a Constituição da República de Angola (ANGOP), as autoridades tradicionais são entidades que personificam e exercem o poder no seio da comunidade na respectiva organização político-comunitária tradicional, de acordo com os valores e normas e no respeito pela constituição. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA