Saurimo cresce de forma ordenada em 60 anos de existência

Vista da cidade de Saurimo (arquivo) (Foto: Pedro Parente)

Aos 60 anos, a cidade de Saurimo, capital da província da Lunda Sul, goza de um clima de paz e harmonia, registando um crescimento de forma ordenada, com uma rede de serviços integrados que permite elevar a qualidade de vida dos seus habitantes.

O investimento que está a ser feito pelo governo da província, sobretudo no casco urbano e suburbano da cidade que completa hoje, 28 de Maio, 60 anos desde que foi elevada à categoria de cidade, empresta à cidade um ar mais cosmopolita, com a construção de novos prédios e moradias, num estilo arquitectónico português, bem concebido, com excelentes urbanizações nos bairros da circunscrição, nomeadamente, Terra-nova, Candembe, Txizainga I e II, Luar e Catoca.

As novas zonas de habitação são ordenadas e os bairros que nascem têm infra-estruturas básicas que garantem qualidade de vida aos moradores. É uma nova fase que está a substituir os pequenos bairros improvisados espalhadas um pouco por todo Saurimo.

Milhares de casas sociais foram e estão a ser construídas nos bairros Txizainga II e Catoca, sendo um dirigido a Juventude e outro para os trabalhadores da Sociedade Mineira de Catoca e não só, nomeadamente projecto habitacional “Mwono Waha” e a Casa da Juventude.

Alguns terrenos baldios estão igualmente a ser ocupados por citadinos, que erguem casas precárias e não só, como exemplo os bairros Txizainga II e Candembe II, Manauto, Luar, que em breve serão requalificados de acordo com as perspectivas do governo local.

No campo económico, o município de Saurimo cresce de forma acelerada, os investimentos são cada vez mais atraídos. Saurimo tem uma estrutura produtiva dinâmica, impulsionada pela inovação e com valores agregados, diversificada e integrada à economia nacional, cujas oportunidades geradas pelo desenvolvimento beneficiam a todos, no âmbito do programa da diversificação da economia.

É notório o orgulho da população de Saurimo em viver num município precursor em franco desenvolvimento que se diferencia pela qualidade de seu capital humano, pela capacidade competitiva das suas empresas e por instituições públicas comprometidas com o progresso do município.

Assim, é o município de Saurimo hoje, motivo de orgulho de todos os seus habitantes e visitantes, resultado das acções estratégicas empreendidas por toda sociedade, que, acima de tudo, sabe o que deve fazer para a construção de um futuro melhor.

Sector da educação

Nos últimos 14 anos registou-se um crescimento acentuado da população em idade escolar, fenómeno que foi acompanhado por uma forte expansão da rede escolar. Para atender à demanda, o governo empreendeu um grande esforço, tanto na área da construção de instituições escolares que permitiram absorver maior número de alunos, como na área da formação de professores para se poder responder com alguma qualidade à enorme procura educativa que se regista ao nível do ensino.

Nesse período foram construídas 136 escolas, o que perfaz um total de 449 salas de aulas dos diferentes subsistemas de ensino, que, ao todo, albergam 111 mil 150 alunos atendidos por mil e 707 professores nacionais. Estão actualmente em construção cinco escolas com 40 salas de aulas, que, quando forem concluídas, contribuirão para a redução do número de crianças fora do sistema normal de ensino.

A melhoria da qualidade de ensino é indispensável para assegurar à população o acesso pleno à cidadania e a inserção nas actividades produtivas. Esse compromisso, entretanto, não pode ser cumprido sem a valorização do magistério, pois os docentes exercem um papel decisivo no processo educacional. Para garantir e oferecer uma educação de qualidade é indispensável adoptar uma política de gestão voltada à formação contínua e de valorização dos profissionais da educação, acompanhada da expansão e melhoria de infra-estruturas e a distribuição da merenda escolar a todas escolas, para promover a inserção de todas as crianças num sistema de ensino com qualidade.

Enquanto na rede do ensino superior a municipalidade comporta dois Institutos Politécnico Superior, com destaque a Lusíada e Lueji A’nkonde, onde mais de 3.750 estudantes frequentam o ano académico 2016.

A abertura da mediateca provincial e a móvel e do Instituto Nacional de Formação Profissional (Inefop) constituem um dos grandes ganhos dos 60 anos de fundação deste município, pois que as mesmas têm contribuído na pesquisa de várias bibliografias.

Saúde

A rede sanitária do município é composta de um Hospital Municipal, um Psiquiátrico, um centro Materno Infantil, quatro centros de Saúde e 36 postos de Saúde, que são atendidos por sete médicos, três dos quais expatriados e 211 enfermeiros nacionais.

Estão em construção no município duas grandes unidades sanitárias, que futuramente vão melhorar significativamente a assistência médica e medicamentosa dos munícipes: trata-se do Hospital Municipal e da Maternidade Provincial.

Por ser um dos requisitos básicos das produtividades social, a saúde tem sido o elemento central da estratégia de desenvolvimento do município. Por este facto, um dos grandes desafios da administração local, prende-se na expansão desses serviços a toda extensão da circunscrição, de modos a melhorar a saúde no seio das comunidades.

Energia/Água e Transporte

O município é abastecido pela energia proveniente da barragem hidro-eléctrica de Chicapa e de uma Central Termelétrica do Txicumina, com 11,5 megawatts de potência instalada. Actualmente, 11 mil 53 moradores da cidade beneficiam do fornecimento de energia eléctrica.

Saurimo conta actualmente com 33 sistemas de abastecimento de água potável, que beneficia cerca de 77.140 habitantes. O abastecimento de água à cidade é feito a partir da Estação de Tratamento, que tem uma produção de um milhão mil e 239 metros cúbicos, que beneficia um total de quatro mil 641 consumidores.

No quadro do transporte, a circunscrição conta com dois aeroportos (doméstico e militar) que oferece boas condições de acomodação, subvencionada pela companhia de bandeira nacional “TAAG”, que efectua a rota cinco vezes na semana e terrestre conta com dez autocarros na urbe.

Comércio, Hotelaria, Turismo e Banca

A intensificação da construção e exploração de unidades hoteleiras no município em pontos que constituem pólos turísticos, restauração e similares, rede comercial e hotéis em construção têm estado a concorrer para o desenvolvimento e crescimento do sector na região, que conta actualmente com 21 estabelecimentos grossistas, 13 de prestação de serviços, um hotel, 12 pensões, dois aldeamentos turísticos, uma pousada, duas hospedarias, um complexo residencial, três restaurantes, dois snack-bares, dois bares, três pastelarias, um café.

Estando nesta altura em construção cinco hotéis e dois aldeamentos turísticos para engrossar o leque de locais paradisíacos as comunidades locais e estrangeiros que acorrem na área.
Quanto aos serviços bancários, o município conta com o Banco de Poupança e Crédito (BPC), Banco de Fomento Angola (BFA), Banco de Comercial e Industria (BCI), Banco Atlântico, Milénio, Banco Espírito Santo, Banco Sol, Caixa Totta, BAI e BIC.

Desporto

A reabilitação do Estado Municipal das Mangueiras, que acolhe os jogos do Progresso da Lunda Sul no Girabola, constitui-se numa marca indelével para os munícipes que ficaram cerca de 40 anos, sem o abrilhantar de grandes nomes do mosaico futebolístico nacional.

De recordar que antecipadamente a data festiva, várias actividades musico-culturais, feiras de livro, disco, artesanato, alimentos típicos da região e outros produtos estão a ser expostos e comercializados, com a participação especial de expositores provenientes das províncias de Luanda, Benguela, Uíge, Malanje e Cuanza Norte).

Perfil de Saurimo

Foi a capital de toda a Província da Lunda, que veio a posterior ser dividida em duas (Lunda Norte e Lunda Sul). É limitado a Norte pelos municípios de Lucapa e Cambulo, a Este pela República Democrática do Congo, a Sul pelo município de Dala, e a Oeste pelos municípios de Cacolo e Lubalo. É constituído pelas comunas de Saurimo, Mona-Quimbundo e Sombo, constituído por 140 aldeias, das quais 61 já unificadas e 16 povoações.

O município possui um subsolo rico em minérios, nomeadamente: diamantes, manganês e ferro. A população na sua maioria é da etnia cokwe e a língua nacional mais falada é também o cokwe.

Gregório Miasso é o administrador municipal de Saurimo, coadjuvado por Neves Romão. A cidade tem cerca de 423 mil 548 habitantes, de acordo o senso realizado em 1923. Até ao fim da administração portuguesa, o seu nome foi cidade Henrique de Carvalho, em homenagem a Henrique Augusto Dias de Carvalho, o primeiro explorador da região da Lunda. (ANGOP)

por Hélder Dias

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA