Revogar o que parecia irrevogável: interino da Câmara recua a anula sua anulação

(Gustavo Lima /Câmara dos Deputados)

A mais recente anulação do presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, não é a da tramitação do impeachment. É a da anulação da tramitação do impeachment.

O recuo foi documentado por Decisão da Presidência (da Câmara) oficial, divulgada nesta madrugada pelo Facebook da Mídia Ninja e outras fontes. Reza o documento: “Revogo a decisão por mim proferida em 9 de maio de 2016, por meio da qual foram anuladas as Sessões do Plenário da Câmara dos Deputados ocorridas nos dias 15, 16 e 17 de abril de 2017, nas quais se deliberou sobre a Denúncia por Crime de Responsabilidade n. 1/2015”. O documento tem a assinatura do interino da Câmara, Waldir Maranhão.

Está anulada a decisão que anulou a decisão de anular a eleição da presidenta Dilma Rousseff! (DR)
Está anulada a decisão que anulou a decisão de anular a eleição da presidenta Dilma Rousseff! (DR)

Esta decisão vem depois de uma dia de debate acalorado no Senado (que não quis atender, na sua maioria, à anulação anterior). Houve também uma discussão na própria Câmara.

Segundo informa a Folha de São Paulo, por volta da meia-noite, um grupo de representantes do governo se dirigiu à casa do interino “para demovê-lo da ideia, mas não conseguiram”.

Mesmo ontem, na hora da vigência da anulação da tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, a estimativa do Senado era que haveria votação prevista para o dia 11. Com a anulação da anulação, esta estimativa persiste.

A Folha de São Paulo ainda informa que o motivo do recuo de Maranhão pode ter sido o medo de perder o seu mandato no PP. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA