Responsável previne pais a orientar os filhos sobre conteúdos da internet

Vista de uma página de internet (Foto: António Escrivão)

Os conteúdos consultados na internet pelos filhos devem ser vistoriados pelos pais devendo estes orientá-los da melhor forma e assim aproveitarem positivamente esta ferramenta, aconselhou esta sexta-feira, em Luanda, o director nacional para política familiar, do Ministério da Família e Promoção da Mulher, António João.

O responsável manifestou este apelo quando dissertava o tema “Minha família minha inspiração, perspectiva de educação e promoção de modelos de referencia na sociedade”, no XIX Conselho Provincial da Família, realizado no Instituto Médio de Luanda (IMEL).

Segundo o responsável os pais devem ser participes no processo de formação e aprendizagem dos seus filhos, acompanhando presencialmente todas acções dos seus educandos, quer em casa, quer nas instituições de ensino.

António João reprovou a tendência dos jovens, virada para o imediatismo e vida fácil, consumo exagerado e venda de bebidas alcoólicas em locais impróprios, uso incorrecto dos bens públicos como as pedonais e a transformação de óbitos em festas, o que envergonha a sociedade angolana.

O XIX Conselho Provincial da Família realizou-se sob o lema “Promovamos nas famílias, comunidades e instituições, os valores morais, cívicos, culturais e patrióticos”.

Durante o encontro que juntou administradores municipais, distritais, autoridades tradicionais e representantes das direcções afectas a família de todos os municípios, foram debatidos vários temas, entre os quais “A família e comunidade como depositários dos valores humanos de convivência” e “O papel da família e da comunidade na promoção de uma cidadania activa”.

Este conselho é um órgão de consulta do GPL, realiza-se todos os anos para se reflectir sobre os desafios que se colocam as famílias pela necessidade de se fortalecer a coesão interna entre os seus membros, o que pressupõe incutir no seu seio, os valores de convivência social alicerçado na identidade cultural nacional e na angolanidade. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA