Redes sociais estão cheias de coisas falsas e alarmistas

O ministro do Interior Ângelo da Veiga. (Foto: Mota Ambrósio)

O recurso às redes sociais para a divulgação de notícias falsas e infundadas contribuem para a criação do sentimento de insegurança e mancha o bom nome dos órgãos do Ministério do Interior e seus quadros, disse ontem, em Luanda, o ministro do Interior.

Ângelo da Veiga Tavares, que falava na abertura do seminário metodológico para adequação e harmonização da Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior, pediu uma relação de complementaridade entre as forças de segurança e os órgãos de comunicação social, para a garantia do bem-estar dos cidadãos.
“A razão da existência das forças e serviços de segurança num estado de direito e democrático é, sem dúvidas, garantir o bem-estar dos cidadãos, daí a necessidade de darmos a conhecer o resultado do nosso trabalho, enquanto destinatários do produto final que é a segurança”, esclareceu Ângelo da Veiga Tavares, para acrescentar que os órgãos da comunicação social devem informar com verdade e evitar esclarecimentos e desmentidos.
O Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa, recentemente institucionalizado ao abrigo do Decreto Presidencial n.º 230/15 de 29 de Dezembro, vai elaborar um plano de comunicação institucional e imprensa, em coordenação com as diretrizes estratégicas emanadas pelo Ministério da Comunicação Social e o Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA), e divulgar as actividades desenvolvidas pelo Ministério do Interior.
Na presença do ministro da Comunicação Social, José Luís de Matos, e do secretário para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa da Presidência da República, Manuel Rabelais, o ministro Ângelo da Veiga Tavares considerou a comunicação institucional elemento preponderante na relação entre a instituição e o público, pelo facto de existir cidadãos que buscam sempre informação actualizada.
O seminário metodológico, na visão do ministro, é de capital importância por permitir aos órgãos do Ministério do Interior adaptar as suas estruturas à nova realidade estatutária e melhorar a sua capacidade de respostas às necessidades, cada vez mais crescentes, de garantir informação aos cidadãos.

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior, Simão Milagres, garantiu para breve a desburocratização do sistema de passagem de informação necessária e útil à população e disponibilizar fontes de informação para facilitar o trabalho da Comunicação Social em manter a população informada.

Acesso às fontes

Simão Milagres disse que a página da Polícia Nacional no Facebook, apresentada segunda-feira, o Portal do Ministério do Interior, a ser lançado em breve, e o Gabinete Comunicação Institucional e Imprensa são algumas fontes de informação que podem ser utilizadas para obtenção de informação e fazer denúncias.
“A Polícia, os Serviços de Investigação Criminal, os Bombeiros e os demais órgãos do Ministério do Interior estão directa ou indirectamente ligados às nossas vidas, daí a importância de podermos ter uma comunicação alinhada e sem ruídos”, acrescentou o director, alertando para aspectos que devem merecer tratamento cuidado.
Durante o seminário, que hoje termina, directores dos Gabinetes de Comunicação Institucional e Imprensa das delegações provinciais e porta-vozes dos órgãos centrais do Ministério do Interior  aprendem técnicas de comunicação, apresentação em público, redacção de discursos, preparação de conferências de imprensa e gestão da comunicação de crise.  O seminário tem como lema ”Comunicar com eficiência e eficácia para melhor servir”. (jornaldeangola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA