Receitas da Vodafone em Portugal aumentam 3,9% até Março

(Bruno Simão)

A operadora inverteu a tendência de queda das receitas em Portugal. De Janeiro a Março a Vodafone registou receitas totais de 235,7 milhões de euros, impulsionadas pelo serviço fixo.

A Vodafone Portugal inverteu a tendência de queda das receitas registada nos últimos trimestres. Durante o trimestre findo em Março, que encerra o ano fiscal 2015-2016, a operadora liderada por Mário Vaz obteve receitas totais de 235,7 milhões de euros, um aumento de 3,9% face ao mesmo período do ano anterior.

Os proveitos de serviços situaram-se em 221 milhões de euros o que traduz uma subida de 3,5% face ao período homólogo. Um valor que, segundo a operadora, poderia ter sido superior caso fosse excluída a redução das tarifas de terminação móvel.

Sem estas tarifas, que consistem no preço que um operador paga a outro quando o seu cliente liga para um utilizador de outra rede, as receitas de serviços da Vodafone Portugal tinham aumentado 4,9%.

No ano passado a Anacom impôs uma descida em 35% dos preços grossitas, para atenuar o “desequilíbrio de tráfego em desfavor dos operadores de menor dimensão”.

A Vodafone justifica o desempenho do quarto trimestre com “a recuperação nos resultados do serviço móvel” e “um crescimento sustentado do negócio do fixo, em particular da TV por subscrição, no qual é o operador que mais cresce nos últimos dez trimestres”, explica a operadora em comunicado divulgado esta terça-feira, 17 de Março.

Nos três primeiros meses do ano os proveitos do segmento fixo subiram 34,1% para 40,7 milhões de euros, suportadas no aumento da base de clientes em 28,1% para um total de 500 mil clientes. Destes, 442 mil são clientes de banda larga, detalha a operadora.

No total, no final de Março, a Vodafone tinha 2,36 milhões de casas e empresas cabladas com fibra óptica. No final fo ano passado, Mário Vaz anunciou que a operadora ia investir 125 milhões de euros na expansão da sua rede de fibra a mais 550 mil casas até 2017.

Já no móvel, a operadora somava 4,8 milhões de clientes, o que representa uma queda de 3,8% face ao período homólogo.

No que diz respeito à rede 4G, a Vodafone adianta que “atingiu uma cobertura de 96% da população portuguesa, com o número de clientes 4G a disparar 182% para 828 mil e a utilização de dados móveis a aumentar 84% face ao anterior”.

Para Mário Vaz, “a Vodafone Portugal fecha o exercício 2015-2016 com resultados que atestam a afirmação e a consolidação dos vários pilares da estratégia adoptada. O compromisso em oferecer a melhor experiência e serviço aos clientes, diferenciando-nos da concorrência, o forte investimento na expansão e abrangência da rede fixa e móvel de última geração, o reforço da aposta nos segmentos empresarial e jovem, e o papel de referência em inovação indicam que continuamos a caminhar na direcção correta”, acrescenta o presidente executivo da Vodafone Portugal no mesmo comunicado. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA