Promoção do turismo cultural ganha força com protocolo entre Mincult e Minhotur

Assinatura de memorando entre ministérios da cultura e da hotelaria e tursimo (Foto: Cortesia de Simão José)

A promoção do turismo cultural no país ganha força e nova dinâmica fruto da assinatura na segunda-feira, em Luanda, de um protocolo de cooperação entre os ministérios da Cultura (Mincult) e da Hotelaria e Turismo (Minhotur).

Os dois departamentos ministeriais, em função do protocolo, obrigam-se a realizar acções de troca de experiências, programas de superação e formação de Guias Turísticos, promoção de actividades turísticas e culturais, implementar sinaléticas de informação cultural e turística em todo o país, elaborar um guia e directório da cultura e turismo, e uma agenda cultural e do turismo com tradução bilingue.

De acordo com o conteúdo do protocolo, durante dois anos, tempo que é renovável em períodos igual se nenhuma das partes o denunciar no prazo de antecedência de seis meses e durante este prazo de vigência podem ser introduzidas alterações ao protocolo, obriga igualmente que os dois ministérios colaborem com as actividades promovidas pelas agências de viagens e turismo no domínio turístico-cultural, assegurar a existência de guias dotados de conhecimentos no domínio turístico-cultural e incentivar o surgimento de novos guias, promover o turismo religioso criando condições para a divulgação do seu património material e imaterial.

Durante o tempo de vigência do protocolo, o Mincult e o Minhotur vai ainda assegurar a participação de agentes culturais em todas as Bolsas Internacionais de Turismo (BITUR) e dos agentes do turismo nos principais eventos nacionais e internacionais, estabelecer uma estratégia direccionada para a promoção do Carnaval, através do turismo, com a colaboração das agências de viagens e turismo e demais parceiros, criar políticas para implementação de taxas no âmbito das visitas dos potenciais turistas aos museus e estimular excursões turísticas e escolares e promover colóquios, seminários e workshops conjuntos no âmbito do binómio Cultura-Turismo.

Pretende-se ainda promover as artes, em particular as artes plásticas, literatura, folclore e a música angolana nos hotéis, restaurantes e similares com a colaboração dos agentes culturais, envolver equipas conjuntas no processo de inspecção e licenciamento de locais de realização de actividades culturais e de lazer, recuperar e restaurar os monumentos e sítios históricos e adequá-los a espaços de lazer, cultura e turismo e promover a gastronomia, a moda e indumentária nacional como produto de identidade nacional e promover a sua internacionalização.

O protocolo será implementado mediante uma estratégia de marketing de âmbito nacional e internacional, de modo a permitir um vasto conhecimento dos programas do plano de acção.

Sobre o protocolo, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, salientou que o objectivo é promover atracções culturais que sejam só vistas pelos turistas nacionais e estrangeiros, para melhor conhecerem a realidade e pontos culturais angolanos, bem como identifica-los e devidamente organiza-los para dar a conhecer o que o país tem de melhor.

A ministra afirmou que o intercâmbio surge para se interagir e criar um quadro jurídico de cooperação em vários domínios, como na divulgação dos valores culturais e a atracção turística.

Carolina Cerqueira referiu que este quadro jurídico vai traçar um intercâmbio de colaboração entre os dois sectores, por serem muito importantes do ponto de vista da divulgação e da expansão cultura nacional.

Por seu turno o ministro da Hotelaria e Turismo, Paulino Domingos Baptista, disse que o presente acordo corporiza também conteúdos que os dois ministérios têm em comum, bem como dá nova dinâmica ao turismo cultural.

Referiu que o turismo cultural serve para que visitantes possam identificar, cada vez mais, com os princípios, forma de pensar e ser dos angolanos.

Paulino Baptista salientou que o presente protocolo assenta, entre outras, nas áreas da gastronomia, folclore, Carnaval, espectáculos músico-culturais, dança variada, teatro, recital de poesia e poema, museus, artesanatos, formação dos guias turísticos, moda, turismo cultural, eco-turismo, turismo religioso e feiras. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA