Presidente francês na cimeira sobre segurança em Abuja

François Hollande recebido em Abuja pelo ministro nigeriano dos negócios estrangeiros, Geoffrey Onyeama, por ocasião da cimeira de Abuja sobre segurança (REUTERS/Afolabi Sotunde)

Decorre este sábado, 14 de maio, em Abuja, na Nigéria, uma cimeira internacional sobre a segurança tendo como pano de fundo os terroristas de Boko Haram e na presença do presidente francês, François Hollande.

O presidente francês, François Hollande, encontra-se em Abuja, a participar na cimeira internacional sobre a segurança, a convite do anfitrião nigeriano, Muhammadu Buhari, a braços com o terrorismo do Boko Haram.

Presentes igualmente nessa cimeira de Abuja, na Nigéria, uma dezena de de Chefes de Estado africanos, do Benim, Camarões, República centro-africana, Gabão, Gana, Guiné equatorial, Níger, Nigéria, Senegal, Chade e Togo.

Presença internacional nesta cimeira de Abuja

Mas, participam igualmente, a nível mais internacional, representantes do Reino Unido, dos Estados Unidos e da China, para além, do presidente francês, François Hollande.

O Chefe de Estado francês, declarou logo à sua chegada em Abuja, que o grupo terrorista nigeriano, Boko Haram, “permanece uma ameaça”, apesar “dos resultados impressionantes”, conseguidos pela Nigéria, Chade, Camarões e outros países africanos, com o apoio da cooperação mundial.

Cimeira tem como objectivo dar combate ao grupo Boko Haram

Esta cimeira de Abuja, que veio no seguimento da primeira conferência sobre a segurança da região do lago Chade, organizada, em maio de 2014, em Paris, pelo presidente François Hollande, tem como objectivo principal, continuar a combater o grupo terrorista, Boko Haram, que desde essa altura ganhou mais pujança e alargou o seu raio de acção desenvolvendo ataques terroristas, na Nigéria, nos Camarões e no Chade.

Tudo isto, com o apoio do grupo jiadista e terrorista Estado islâmico, já que Boko Haram, passou a ser um súbdito dessa organização terrorista, que actua sobretudo no Iraque e na Síria, mas instalou-se igualmente nos países, como a Líbia, e ataca em várias capitais mundiais, como foi o caso dos actos terroristas que levou a cabo em novembro de 2015, em Paris, provocando mais de 128 mortos e dezenas de feridos.

França, apoio militarmente vários países africanos

De notar, enfim, que o Presidente francês, François Hollande, antes de ir participar nesta cimeira de Abuja, já tinha visitado esta sexta-feira, 13 de maio, pela terceira vez, a República centro-africana, onde confirmou que Paris vai retirar a sua força militar Sangaris naquele país até ao fim deste ano, uma força que tem por missão securizar o território centro-africano após uma violenta guerra civil, em 2013-2014. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA