Platini anuncia renúncia à presidência da Uefa

Michel Platini (DPA)

Apesar de redução da pena, recurso contra banimento temporário do futebol falha na Corte Arbitral do Desporto. Suspensão é resultado de um pagamento obscuro de 2 milhões de francos suíços da FIFA ao ex-jogador francês.

Michel Platini anunciou que irá renunciar ao cargo de presidente da UEFA nesta segunda-feira (09/05), depois de sua apelação contra o banimento de actividades ligadas ao futebol ter falhado na Corte Arbitral do Desporto (CAS), embora este tenha reduzido a pena para quatro anos.

Os advogados do ex-jogador francês declararam que a renúncia será formalmente apresentada nos próximos dias. “Michel Platini anuncia que renunciará ao cargo de presidente da UEFA no próximo congresso da organização”, diz o texto, acrescentando que Platini ficou “profundamente decepcionado” com a decisão judicial.

O painel da CAS rejeitou o recurso alegando “não estar convencido da legitimidade” do pagamento de 2 milhões de francos suíços (cerca de 7,2 milhões de reais), “que foi reconhecido por Platini e [pelo ex-presidente da Fifa Joseph] Blatter, e que foi efectuado mais de oito anos após o término de suas relações de trabalho”.

Os dois já haviam sido suspensos por 90 dias em Outubro do ano passado no âmbito de uma investigação sobre tal pagamento a Platini pela FIFA, que teria sido ordenado por Blatter em 2011. O dinheiro seria referente a serviços de consultoria prestados por Platini a Blatter durante 1999 e 2002.

O pagamento “não foi baseado em nenhum documento estabelecido no momento das relações contratuais e não se correlacionou com a alegada parte não paga de seu salário”, prosseguiu a declaração da corte.

O painel, no entanto, determinou que a suspensão de seis anos proferida a Platini era “muito severa” e, portanto, decidiu reduzi-la para quatro anos, o que “corresponde à duração de um mandato presidencial”. Além disso, a multa de 80 mil francos suíços foi reduzida para 60 mil francos suíços (215 mil reais).

Em 21 de Dezembro passado, o ídolo francês havia sido suspenso por oito anos pelo Comité de Ética da FIFA, pena que foi reduzida para seis anos em Fevereiro, após um primeiro recurso.

O Comité Executivo da UEFA está previsto para se encontrar numa reunião extraordinária em 10 de maio, quando deve ser nomeado um novo presidente da entidade. (DW)

PV/afp/rtr/ots

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA