Península nunca foi ucraniana, sempre pertenceu ao Império Russo

(Sputnik/ Vasily Batanov)

A Crimeia “nunca foi ucraniana”, e a reunificação da península com a Rússia representou um passo lógico, disse o compositor e ex-deputado do parlamento letão Imants Kalnins.

Crimeia e Sebastopol integraram-se à Rússia depois do referendo ocorrido em Março de 2014, no qual 96,77 por cento da população da península e, concretamente, 95,6 por cento dos habitantes da cidade apoiaram a reunificação. Moscovo verificou que o referendo na Crimeia respeitou plenamente as normas de direito internacional, assim como a Carta das Nações Unidas. Entretanto, a Ucrânia continua declarando a península como seu território nacional, temporariamente ocupado.

“Adoro a Rússia e o povo russo. Não posso encontrar nenhum motivo para que eu tenha uma atitude hostil em relação a este país. Quando vejo os valores promovidos pelo Ocidente, tanto os países vizinhos, como os mais afastados, não tenho nenhuma dúvida de que é preciso estar ao lado da Rússia. Por isso, tenho muita simpatia pelo presidente Putin, que se opõe a este absurdo imposto pelo Ocidente”, disse o ex-parlamentar.

Comentando a situação em torno da Crimeia, ele disse que considera a reunificação da península à Rússia um passo lógico.

“A Crimeia nunca foi ucraniana. Sempre pertenceu ao Império Russo”, anotou.

Imants Kalnins é um dos compositores mais conhecidos da Letónia, autor de seis sinfonias e várias músicas para peças de teatro, obras cinematográficas e desenhos animados do país. Exerceu seu primeiro cargo parlamentar ainda nos primeiros anos da época pós-soviética do país, entre 1990 e 1993, tendo sido eleito pela segunda vez em 2006 para um mandato de 4 anos. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA