Ler Agora:
“Obcecado”, “sectário”, “desafiador”. Eis a moção de Costa vista por um socialista
Artigo completo 2 minutos de leitura

“Obcecado”, “sectário”, “desafiador”. Eis a moção de Costa vista por um socialista

Sérgio Sousa Pinto já foi da direção de António Costa, mas saiu em rutura com a estratégia do líder do PS no pós-legislativas. A duas semanas do congresso, atira-se à moção de Costa.

O socialista Sérgio Sousa Pinto leu a moção de estratégia global que António Costa leva ao congresso do PS de 3,4 e 5 de junho e não gostou. O ex-secretário nacional de Costa diz que o texto “perpassa um tom sectário, desafiador, que é impróprio do PS”.

Em declarações ao semanário Expresso, o membro da Comissão Política Nacional diz que o “tom sectário” se verifica nas parte da moção sobre quem à esquerda critica a solução governativa que junta no apoio ao Governo socialista o PCP, o BE e os Verdes. Uma dessas vozes críticas é precisamente a de Sérgio Sousa Pinto que saiu da direção do partido, logo em outubro, quando António Costa estava a negociar um acordo à esquerda.

Agora, em véspera do congresso do PS a que promete ir, o deputado socialista volta à carga para dizer que o texto que António Costa leva à reunião magna socialista é “obcecado pela defesa da legitimidade política do atual Governo”. “É um tom excessivamente satisfeito consigo próprio como se o passado anterior a esta experiência fosse a idade das trevas”, analisa Sousa Pinto que promete ir ao congresso socialista.

Já no que diz respeito às questões mais sectoriais que estão na moção, Sousa Pinto fala num “longo repositório de ideias da moda: obsessão pela integração supranacional e reforço da descentralização subestatal”e atira à estratégia do partido para as autárquicas do próximo ano: “O PS pretende transformar em sua a vitória de outros partidos mesmo que sejam derrotas do PS”.

Os socialistas elegem este sábado o secretário-geral do partido, em eleições diretas onde concorreram dois candidatos. Além do atual líder, António Costa, também Daniel Adrião entrou na corrida. (OBSERVADOR)

por Rita Tavares

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »