México: descobertas ruínas enigmáticas em sítio arqueológico de Teotihuacán

Fotografia distribuída pelo Instituto Nacional de Antropologia e História do México mostra o sítio arqueológico de Teotihuacán, em 29 de maio de 2015 (AFP)

Uma equipe de arqueólogos descobriu uma zona repleta de crateras e fossas em uma praça do sítio arqueológico de Teotihuacan, no centro do México, que revela que os espaços abertos também eram centros de culto, informou nesta quinta-feira o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

“Nos encontramos frente a um novo centro da cidade, frente a um novo centro cósmico”, afirmou Verónica Ortega, directora do primeiro projecto de escavação realizado na Plaza de la Luna.

Este sector é de suma importância dentro de Teotihuacan porque leva à Calzada de los Muertos, o grande eixo do espaço sagrado deste sítio, localizado a cerca de 50 km da Cidade do México.

“Pela primeira vez se sabe que o espaço aberto não necessariamente é vazio de evidência arqueológica. Em geral, os espaços públicos de Teotihuacan, La Ciudadela e as praças das pirâmides do Sol e a da Lua, tiveram um simbolismo além do que podemos ver”, apontou a especialista.

Desde uma vista aérea, a descoberta “poderia simular uma paisagem lunar repleta de crateras: fossas em cujo interior se encontram estelas lisas de pedra verde, dutos que marcam no centro deste espaço os rumos do universo e uma série de perfurações que continham (…) um código simbólico que os antigos teotihuacanos elaboraram nas primeiras fases da urbe, há 1.900 anos”, descreve o INAH no comunicado.

As descobertas revelam que a Plaza de la Luna não era como actualmente, mas um terreno semelhante à “cara de um queijo gruyer”, com fossas possivelmente escavadas desde as primeiras etapas da cidade, por volta do ano 100 d.C., afirma a nota.

Até agora, foram identificados mais de 400 ocos usados ao longo de cinco séculos, pequenos buracos de entre 20 e 25 cm de diâmetro e cujas profundidades variam em torno dos 30 cm. Em muitos deles havia pedras de rio, trazidas de outros lugares.

Possivelmente “foi um espaço com uma carga simbólica que une a parte subterrânea, o ‘inframundo’, com o plano celeste”, detalhou Ortega, para quem é provável que as pessoas chegassem a este espaço aberto e depositassem objectos, em um ritual para atrair a fertilidade.

Até o momento foram localizadas cinco estelas (objectos de pedra que contém significado simbólico) completas dentro de fossas, cujas alturas e pesos variam entre 1,25 e 1,5 metros, e 500 e 800 quilos, e se encontram a uma profundidade de cerca de quatro metros.

O projecto de exploração, que começou em 2015, será concluído no final de Julho.

Teotihuacan, com uma superfície de 20 km2 e cerca de 125.000 habitantes estimados, foi uma das cidades mais importantes da América. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA