Marcelo sobre reunião com os colégios: “É sempre bom ouvir e informar-me”

O Presidente da República evitou falar sobre o encontro que teve com o movimento "Defesa da Escola Ponto", que contesta as alterações do Governo em relação aos contratos de associação com os colégios privados. (Negocios)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, evitou esta madrugada, em Ílhavo, falar sobre o encontro que teve com o movimento “Defesa da Escola Ponto”.

O movimento entregou na tarde de quinta-feira a Marcelo Rebelo de Sousa um parecer do constitucionalista Vieira de Andrade, que aponta a ilegalidade da decisão do Ministério da Educação de reduzir no próximo ano lectivo o número de turmas de início de ciclo – 5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade – com contrato de associação.

Instado a falar sobre o encontro, o Presidente da República limitou-se a dizer: “É sempre bom ouvir e informar-me”.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas em declarações à margem da inauguração do Museu da Vista Alegre, em Ílhavo.

Antes da cerimónia, o Chefe de Estado participou numa missa presidida pelo arcebispo primaz de Braga, Jorge Ortiga, concelebrada pelo bispo de Aveiro, António Ramos, na renovada Capela da Vista Alegre.

No seu discurso, Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou a homilia que ouviu na celebração eucarística e falou sobre os “grandes desafios do presente e do futuro próximo de Portugal”, dizendo que é preciso “conjugar o pão material com o pão espiritual”.

“O pão material, criando riqueza com rigor, com bom senso, com os pés assentes na terra, mas criando riqueza e emprego. E, ao mesmo tempo o pão espiritual, a atenção às coisas do espírito, à cultura, e a Vista Alegre é a conjugação disso mesmo”, afirmou.

O Presidente da República realçou ainda a originalidade da inauguração de um museu à noite, referindo-se à sua assumida vocação de noctívago.

Ao longo da visita, Marcelo Rebelo de Sousa esteve sempre acompanhado por uma multidão de pessoas, apesar do adiantado da hora.

Faltavam poucos minutos para as 01:00, quando o Presidente da República visitou uma oficina de pintura manual, onde se encontravam vários funcionários a trabalhar, e cumprimentou-os um a um, pedindo desculpa e assumindo a responsabilidade por se encontrarem ali àquela hora.

Antes da inauguração do Museu da Vista Alegre, o Chefe de Estado sentou-se à mesa com algumas crianças que estavam a aprender a trabalhar com barro e assistiu ao ensaio de uma peça de teatro no renovado Teatro da Vista Alegre.

O programa terminou com fogo-de-artifício na ria cerca das 01:00. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA