Manifestantes abandonam Zona Verde de Bagdade mas com ameaça aos deputados (vídeo)

(EURONEWS)

Os manifestantes que no sábado chegaram até a invadir o Parlamento do Iraque abandonaram este domingo a chamada Zona Verde de Bagdade, onde se situam os edifícios do governo e as embaixadas internacionais. Os populares mantinham-se naquele local habitualmente inacessível em protesto contra o adiar da reforma do executivo prometido pelo primeiro-ministro Haidar al-Abadi, mas emperrado pela falta de acordo dos deputados para votação dessa reformulação.

A reforma é vista como essencial para combater a alegada corrupção existente no governo iraquiano e é exigida pelo líder xiita Moqtada al-Sadr. Boa parte dos manifestantes que invadiram a Zona Verde de Bagdade eram fiéis de Al-Sadr.

O protesto foi desmobilizado este domingo depois de uma porta-voz dos manifestantes, Ikhlas al Obeidi, ter deixado um aviso aos deputados: “Nós vamos voltar aqui pelas reformas e para lutar contra a corrupção e contra os corruptos. Se as nossas exigências não forem cumpridas, o povo irá recorrer a todos os meios legítimos. Se for preciso iremos tomar o controlo dos três poderes no país.”

A porta voz dos manifestantes referia-se aos poderes executivo, legislativo e judicial, que compõem o Governo Federal do Iraque.

Durante a invasão de sábado, o primeiro-ministro chegou a passear-se pela Zona Verde, sorridente e escoltado por militares. Habadi al-Abadi ainda ameaçou os manifestantes mais intempestivos com a prisão, mas as forças policiais pouco fizeram para evitar a livre circulação naquele perímetro praticamente inacessível aos populares desde a invasão militar do Iraque pelos Estados Unidos em 2003.

(SEguidores do clérigo Muqtada al-Sadr furam a Zona Verde de Bagdade e invadem o Parlamento.) (EURONEWS)

por Francisco Marques | com REUTERS

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA