José Eduardo Agualusa é um dos finalistas do “Man Booker International Prize”

(DR)

O vencedor do “Man Booker International Prize” é anunciado esta segunda-feira, o escritor angolano José Eduardo Agualusa é um dos finalistas, como o moçambicano Mia Couto em 2015.

O “Man Booker International Prize” é anunciado esta segunda-feira e José Eduardo Agualusa figura na lista dos finalistas.

A obra seleccionada é a tradução inglesa de “Teoria Geral do Esquecimento” – “A General Theory of Oblivion” – , um livro traduzido por Daniel Hahn, que conta a história de uma mulher que se fecha em casa na véspera da independência de Angola.

No ano passado, o escritor moçambicano Mia Couto também foi finalista do Prémio Booker, ganho pelo húngaro László Krasznahorkai.

José Eduardo Agualusa e Daniel Hahn já tinham conquistado juntos o Prémio Independente de Ficção Estrangeira do jornal “The Independent” com “O Vendedor de Passados” e o prémio Pen inglês também com “Teoria Geral do Esquecimento”.

O nome de José Eduardo Agualusa figura ao lado de Elena Ferrante (Itália), Han Kang (Coreia do Sul), Yan Lianke (China), Orhan Pamuk (Turquia) e Robert Seethaler (Áustria).

O “Man Booker International Prize” é um dos mais prestigiados prémios literários em língua inglesa. Este ano, o brasileiro Raduan Nassar também constou na lista dos 13 finalistas, mas não entrou na selecção final. O concurso recebeu 155 candidaturas e o prémio é de 50 mil libras para o melhor livro estrangeiro traduzido para inglês.

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É autor de vários livros, entre os quais “A Conjura” (vencedor do Prémio Revelação Sonangol), “Nação Crioula” (vencedor do Grande Prémio de Literatura RTP), “Fronteiras Perdidas” (Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco da Associação Portuguesa de Escritores) e “O Vendedor de Passados” ( vencedor do Prémio Independente de Ficção Estrangeira promovido pelo jornal britânico The Independent). (RFI)

por Carina Branco

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA