Israel condena assassino de jovem palestiniano à prisão perpétua

(EURONEWS)

As tropas israelitas abateram esta terça-feira um homem palestiniano em Ein Arik, na Cisjordânia.

O indivíduo de 36 anos foi alvejado mortalmente depois de lançar a viatura que conduzia sobre um grupo de três soldados.

Os três militares encontram-se hospitalizados, um dos quais em estado crítico.

A ação, que não foi reivindicada, ocorre num momento em que a vaga de ataques no território causou a morte de 194 palestinianos, 28 israelitas e dois cidadãos norte-americanos nos últimos seis meses.

Israel afirma que o número de ataques, quase quotidianos em Outubro, se encontra em queda nas últimas semanas, graças à cooperação reforçada com Autoridade Palestiniana.

Em paralelo, a justiça israelita condenou à prisão perpétua o homem acusado de ter raptado e queimado vivo um jovem palestiniano de 16 anos em 2014.

Um crime classificado pelo procurador israelita, durante a leitura da sentença, como, “uma vergonha para uma sociedade civilizada e uma ofensa aos valores do país”.

Yosef Haim Ben David foi igualmente condenado a 20 anos de prisão por rapto e tentativa de rapto de outro jovem palestiniano.

Os dois cúmplices do assassino, tinham sido condenados à pena perpétua e a 21 anos de prisão.

O crime tinha originado uma vaga de revolta palestiniana que levou Israel a lançar uma ofensiva militar sobre a faixa de Gaza a 8 de julho de 2014, seis dias após o assassínio. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA