IGCP, CP e Segurança Social usaram offshores – TSF

(Reuters)

Agência que gere a dívida, empresa de comboios e Segurança Social tiveram operações em “offshores”, num montante total de 130 milhões de euros, noticia a estação de rádio.
O IGCP, a CP e a Segurança Social são as entidades públicas portuguesas que utilizaram offshores, de acordo com a TSF, que acrescenta que em causa está um montante total de 130 milhões de euros aplicados por esta via.

Segundo aquele meio, o IGCP, a entidade que gere a dívida soberana portuguesa, aplicou cerca de 30 milhões de euros em obrigações da CP, emitidas através de um veículo financeiro sediado em Jersey, uma das ilhas do Panamá. A aplicação foi feita no primeiro trimestre do ano passado e atingiu a maturidade em Julho.

No caso da Segurança Social houve uma aplicação de 170 mil euros feita numa empresa farmacêutica cotada em Londres, um investimento vendido este ano. De acordo com a TSF, é a esta operação que se referia uma notícia do Expresso que identificava a Jordânia e um valor cem vezes superior – 17 milhões de euros.

O semanário tinha revelado a existência de aplicações de entidades públicas em offshores no valor de 150 milhões de euros, no âmbito da investigação sobre os “Panamá Papers”, mas com base em dados do Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com a TSF, que cita uma fonte conhecedora do processo mas não identificada, o Governo quer agora impedir este tipo de aplicações através de offshores. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA