Huíla: INAC notifica 86 casos de violência contra menores

Abel Chico Joaquim - Director do INAC (Foto: José Krithinas)

Oitenta e seis casos de violência contra criança foram registados durante o primeiro trimestre deste ano, pelo Instituto Nacional da Criança (INAC) na província da Huíla, com aumento de 23 casos em relação ao igual período anterior.

A informação foi hoje, segunda-feira, prestada à Angop, no Lubango, pelo director provincial do INAC, Abel Chico Joaquim, numa entrevista para se pronunciar sobre as actividades a ser realizadas no âmbito do Dia Internacional da Ccriança, que se assinala na próxima quarta-feira.

Dos casos notificados, o responsável indicou a fuga à responsabilidade paternal, não atribuição de alimentos, exploração de trabalho infantil, violência física e moral, situação que preocupa as autoridades governamentais locais.

Abel Chico Joaquim esclareceu que estes são apenas casos que dão entrada no Instituto Nacional da Criança, pois a direcção da Família e a Policia Nacional também têm registado casos de violência contra menores, praticados principalmente por parentes próximos.

“Preocupa-nos a situação relativa à fuga a paternidade, a não atribuição de alimentos as crianças e questões relacionadas com a exploração de trabalho infantil, situação que obrigou a direcção do INAC a manter encontros com responsáveis de lares e das direcções onde os funcionários labutam, por formas a cumprirem com as suas obrigações”, sublinhou.

O gestor disse que a ocorrência de casos de violência contra criança tem acontecido mais nos municípios do Lubango, Matala, Jamba, o que tem levado a realizar trabalhos de sensibilização junto das unidades militares e nas instituições escolares.

Para resolver estes problemas, o director do INAC fez saber que a instituição para além de aconselhar, tem mantido contactos com as famílias para demovê-los de tais atitudes.

O Dia Internacional da Criança foi proclamado pela primeira vez durante a Conferência Mundial para o Bem-estar da Criança em Genebra em 1925. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA