Huambo: Desenvolvimento do sector agro-pecuário exige investigações

José Amaro Tati - Secretário de Estado da Agricultura (Foto: ANGOP)

O desenvolvimento do sector agro-pecuário no país exige mais aposta na investigação e na pesquisa, para permitir a identificação de eventuais constrangimentos, através da participação dos agricultores, empresários e comunidades no aumento da segurança alimentar e redução da pobreza.

O facto foi assumido hoje, na província do Huambo, pelo secretário de Estado da Agricultura, José Amaro Tati, quando falava no workshop de lançamento e planeamento do projecto de desenvolvimento de competências para inovação dos sistemas agrários.

Disse que as autoridades nacionais têm consciência do potencial do país, mas, para que este potencial seja transformado em realidade para o benefício comum, é necessário que se aposte seriamente na investigação e na pesquisa.

José Amaro Tati sublinhou que os programas de desenvolvimentos implementados pelo Governo, desde o alcance da paz, em 2002, facilitaram uma maior segurança alimentar, criação de novos postos de emprego, aumento da renda familiar e a redução da pobreza, cuja continuidade depende da atenção a estes dois pressupostos (investigação e pesquisa).

“Esta caminhada só poderá ser mais segura e menos penosa se todas as instituições prestarem uma atenção especial na investigação para a inovação, pois temos que encará-la como se fosse uma lanterna numa noite escura, para verificar onde pomos o pé, porquanto doutra forma é impossível desenvolver o sector agro-pecuário”, sustentou.

Sobre o projecto de desenvolvimento de competências para inovação dos sistemas agrícolas, o secretário de Estado disse que o mesmo vai fazer com que os sistemas agrícolas do país sejam mais capazes de satisfazer as necessidades da comunidade, tendo, por esta razão, enaltecido a iniciativa do Fundo da Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, em particular o seu representante em Angola, Mamoudou Diallo, pela realização da actividade no país, bem como da União Europeia. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA