Filho de presidente da Guiné Equatorial pode ser julgado em França por lavagem de dinheiro

Teodoro Nguema Obiang Mangue (Jérôme Leroy/AFP)

Promotores franceses pediram que o filho do presidente da Guiné Equatorial seja julgado por suposta lavagem de dinheiro, afirmou nesta quinta-feira um representante da promotoria de crimes financeiros.

Teodorin Obiang, filho do presidente Teodoro Obiang, apelou no ano passado para que as acusações fossem retiradas com base em imunidade diplomática, mas o Judiciário definiu na época que elas tinham relação “exclusivamente com a sua vida privada em França”, e não com as suas funções oficiais.

Os juízes decidirão em um mês se levam o caso a tribunal, disse o representante da promotoria à Reuters. Emmanuel Marsigny, seu advogado, declarou à Reuters que eles estavam analisar a acusação

Obiang é o segundo vice-presidente do pequeno país da África central, onde a maioria da população vive na pobreza, apesar das ricas reservas de petróleo. Ele também enfrenta acusações por lavagem de dinheiro nos Estados Unidos.

Ele nega irregularidades e diz que a sua situação financeira, que o permitiu comprar um imóvel luxuoso em Paris, um avião e carros, é resultado de negócios bem sucedidos e legítimos.

O caso contra Teodorin Obiang é parte de uma ampla investigação francesa sobre lavagem de dinheiro, que tem também como alvo as famílias do falecido presidente do Gabão, Omar Bongo, e do presidente da República do Congo, Denis Sassou Nguesso. Juntos, eles são suspeitos de terem 63 propriedades de luxo em Paris e cerca de 200 contas bancárias.

Em 2013, Obiang quase foi preso em Salvador, onde passou o Carnaval, quando a Justiça francesa expediu um mandato de prisão internacional contra ele no mesmo processo por ter faltado a uma audiência. Ao saber da decisão, o vice-presidente Guiné Equatorial voltou imediatamente ao seu país, de onde não poderia ser deportado. (REUTERS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA