Ler Agora:
Exportações caem 3,9% em março com Angola a pressionar
Artigo completo 3 minutos de leitura

Exportações caem 3,9% em março com Angola a pressionar

Balanço do primeiro trimestre aponta para uma queda de 2% nos bens vendidos ao estrangeiro, longe da meta do Governo, que é de crescimento. Ainda assim, para Portugal são muito importantes as exportações de serviços, como o turismo, que falta contabilizar

As exportações portuguesas desiludiram em março e caíram 3,9% em comparação com o mesmo mês de 2015. Já as importações baixaram 0,8%, segundo as contas do comércio internacional reveladas pelo Instituto Nacional de Estatística. São um importante indicador sobre o desempenho da economia portuguesa, sendo que o valor inscrito no Orçamento do Estado para todo o ano de 2016 é um aumento de 4,3%. Os dados até março não são animadores para esse objetivo, mas importa ressalvar que estas estatísticas contabilizam apenas os bens, deixando de fora as exportações de serviços, como o Turismo, muito importantes para a economia.

No comércio internacional de bens, os combustíveis e lubrificantes pesaram, (-39,2% no caso das exportações e -26,1% no caso das importações). Se não contássemos com eles, as exportações tinham apresentado uma queda menor, de 1,3%.
Angola reduz compras em quase metade

As exportações para Angola, nomeadamente, têm registado uma forte queda. É dos principais destinos dos produtos portugueses e Lisboa é o segundo principal fornecedor de Luanda. E, realmente, a queda pronunciada nas exportações portuguesas aconteceu fora do mercado da União Europeia (-14,9%), com Angola a ter o maior contributo negativo: uma quebra de 46,4%, ou seja, deixou de comprar quase metade do que comprava a Portugal.

Os produtos vendidos para os 27 Estados-membros, por sua vez, chegaram mesmo a crescer, ainda que ligeiramente (+0,3%), sobretudo para Espanha (+2,7%).

Assim, e pegando em valores absolutos, “o défice da balança comercial de bens registou um acréscimo homólogo de 133 milhões de euros em março de 2016 e o défice da balança comercial excluindo os Combustíveis e lubrificantes aumentou 185 milhões de euros (…) totalizando -738 milhões de euros”.
Primeiro trimestre desilude

Na comparação mensal, com fevereiro, tanto as exportações como as importações subiram, mas umas mais do que outras: as primeiras com uma tímida subida, de 0,9%, e as segundas com um aumento de 4,8%.

Entre os bens comprados lá fora, o destaque do INE vai para o material de transporte e acessórios. As compras destes produtos cresceram 18,6%.

Com estas estatísticas relativas a março, podemos fazer o balanço do primeiro trimestre deste ano: as exportações de bens diminuíram 2,0% e as importações cresceram 1,0% face ao período homólogo.

Já em fevereiro, embora até tenham crescido na comparação anual, as exportações tinham apresentado um crescimento muito tímido. (TVI24)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »