Cuanza Norte: Governador reafirma aposta no relançamento da produção agrícola

Governador do Cuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos (Foto: Diniz Simão)

O governador do Cuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, disse hoje, em Ndalatando, que o governo da província vai apostar no relançamento da produção agrícola e no desenvolvimento do turismo na região, para aumentar a capacidade de recolha de receitas públicas.

José Maria dos Santos fez tal pronunciamento quando intervinha no acto de apresentação dos novos vices governadores do Cuanza Norte para o sector económico e para os serviços técnicos e infra-estruturas, respectivamente, Henrique Jorge do Sacramento e Sousa e Pedro Samuel John Júnior.

Segundo o governador, o país vive uma situação económica não favorável, que tem afectado as receitas do Estado, o que torna necessário que a província trabalhe no relançamento das suas potencialidades agrícolas e turísticas, sectores que considerou privilegiados para aumentar a capacidade de recolha de receitas públicas.

Disse que nos próximos dias será aprovado o programa de desenvolvimento da província, cujos eixos em que se baseia já são conhecidos, tendo instado os vice-governadores provinciais e administradores municipais a trabalharem no relançamento da produção agrícola intensiva, do turismo e da indústria.

“Os vice governadores como coordenadores dos grupos e acompanhamentos para o desenvolvimento dos municípios terão que seguir com especial atenção os grandes programas do relançamento da produção daquelas culturas que possam servir não só para alimentar as populações mas pela sua qualidade e quantidade possam servir também para a exportação, melhorando assim a balança comercial da província”, frisou.

Anunciou que o governo da província está a trabalhar já num projecto que visa a captação de financiamentos externos ou internos para apoiar, aproximadamente, 50 fazendas do Cuanza norte, por via de parcerias públicas ou privadas., para a implementação de programas de produção agrícola intensiva.

Exortou os vice-governadores e administradores municipais a trabalharem para assegurar o pleno funcionamento das fazendas a serem abrangidas pelo projecto, situadas nas respectivas áreas de jurisdição e de acompanhamento, por via do uso racional dos solos, incentivo aos camponeses e aos investidores que estarão a frente do mesmo.

Salientou que só por esta via e do turismo se poderá alavancar a economia da província. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA