Congresso determina orientação ideológica do partido – Pedro Mutindi

Cuando Cubango: Pedro Mutindi - Primeiro secretário provincial do MPLA (Foto: Armando Morais)

O primeiro secretário provincial do MPLA no Cuando Cubango, Pedro Mutindi, disse hoje, sexta-feira, que a organização tem o Congresso como o órgão supremo que determina a orientação ideológica do partido, a quem cabe apreciar e definir as linhas gerais da política nacional e internacional que orientam a acção das estruturas internas do partido, assim como das suas organizações sociais.

Ao discursar na abertura da XII conferência provincial ordinária do MPLA no Cuando Cubango, Pedro Mutindi afirmou que o próximo Congresso Ordinário do MPLA dedicará uma atenção particular aos aspectos relacionados com a qualidade do partido detentor do Poder Executivo e as tarefas que se colocam aos angolanos e a organização partidária.

Revelou que os próximos desafios, em especial as Eleições Gerais, que terão lugar em 2017, a execução do Plano Nacional de Desenvolvimento a médio prazo, 2013/2017, e a longo prazo Angola 2025, merecerão igualmente uma especial atenção durante o Congresso.

Avançou que a presente conferência é um acto que marca o ponto mais alto das tarefas inerentes ao processo de preparação do VII Congresso do MPLA na província do Cuando Cubango, que foi antecedida de seminários de capacitação de quadros e dirigentes, assembleias dos comités de acção do partido, bem como as conferências comunais e municipais.

Lembrou que a XII conferência provincial ordinária, vai apreciar o balanço das actividades desenvolvidas desde 2009, aprovar as linhas de força do programa de trabalho para o mandato 2016/2021, eleger o novo comité provincial, tendo em vista o princípio de renovação e continuidade, assim como os delegados ao V Congresso e os candidatos a membros do Comité Central do partido.

O primeiro secretário sublinhou que o mandato que hoje termina foi recheado de algumas tarefas importantes na história do partido, com destaque para a implementação da estratégia de crescimento do partido de 2010 a 2012, bem como a preparação para as eleições realizadas em 2012.

Lembrou que durante este período realizou-se igualmente o processo dos movimentos de revitalização dos comités de acção, que visou desenvolver um conjunto de actividades de carácter político e organizativo, analisar a situação organizativa e funcional das organizações de base, o comportamento dos militantes, bem como o registo das insuficiências, por formas a tomar medidas consentâneas com vista ao melhoramento da organização e funcionamento.

O trabalho, acrescentou, procurou igualmente adequar as estatísticas dos militantes do partido, bem como a avaliação do desempenho dos mesmos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA