Combustíveis: Governo anuncia hoje quanto desce o ISP

(Cátia Barbosa/Negócios)

O preço dos combustíveis deverá baixar ainda esta semana em resultado da revisão do Imposto Sobre produtos Petrolíferos (ISP). Há margem para reduções até dois cêntimos no imposto.

Passados três meses desde a subida do Imposto Sobre produtos Petrolíferos (ISP), como prometido haverá uma revisão da fiscalidade. O Governo vai revelar esta quinta-feira, 12 de Maio, a alteração ao ISP, devendo ser revelada uma descida. António Costa diz que será o ministro das Finanças a dar “boas notícias” aos portugueses.

O ISP foi agravado em seis cêntimos por litro, levando a aumentos de mais de sete cêntimos no preço pago pelos consumidores nos postos de abastecimento nacionais a 12 de Fevereiro. Uma subida que apanhou todos de surpresa e que foi mais acentuada do que a inicialmente prevista em resultado da pressão de Bruxelas para mais receita de forma a fazer face à despesa.

O aumento catapultou a fiscalidade para mais de 70% do litro da gasolina e de 60% do valor do gasóleo, mas o Governo comprometeu-se a rever regularmente o ISP de forma a acompanhar o preço do petróleo nos mercados internacionais e manter o nível de receita fixado aquando da decisão de aumentar o imposto.

Essa revisão vai ser feita trimestralmente, sendo esta quinta-feira, 12 de Maio, a data para a primeira alteração do imposto. Tendo em conta a subida dos preços nos mercados, em resultado da recuperação do petróleo, há margem para uma descida do ISP. A Portaria que revela o valor não foi, no entanto, ainda publicada.

“É muito difícil ser ministro das Finanças. Também devemos deixar aos ministros das Finanças a oportunidade para darem boas notícias”, disse Antonio Costa, primeiro-ministro, na entrevista concedida à SIC. Sinalizou, assim, uma descida do imposto, poupando alguns euros às famílias.

Tendo em conta que o Executivo calculava que um aumento de 4,5 cêntimos permitia baixar o ISP em um cêntimo, há margem para a gasolina beneficiar de uma baixa de dois cêntimos. No gasóleo, a descida pode ser de apenas um, isto depois de ambos terem sofrido aumentos de seis. Maior, só se o consumo estiver a compensar a receita inferior com o diesel.

Enquanto o consumo da gasolina está praticamente igual, o do diesel sobe 2,6% até Março, face aos três primeiros meses de 2015. Mas o crescimento não será assim tão expressivo na comparação com o período homólogo. É que, no ano passado, no arranque do ano, ainda não havia combustíveis simples em todos os postos: só passaram a ser obrigatórios em meados de Abril. E os simples são mais baratos.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA