BPI oferecer o BFA? “Ainda não enlouqueci”

(Foto: D.R.)

“Ainda não enlouqueci.” Foi assim que Fernando Ulrich respondeu à possibilidade de oferecer a participação de 50,1% no Banco de Fomento de Angola.

Para mostrar que o BPI  é um banco sólido, com rácio de capital acima do exigido, mesmo sem contabilizar a posição no angolano BFA, Fernando Ulrich começou a conferência de imprensa de apresentação de resultados a dizer que “o BPI podia oferecer o BFA e o rácio de capital mantinha-se”.

Quando questionado pelos jornalistas se essa era uma possibilidade em cima da mesa (o Expresso noticiou que Angola tinha um decreto preparado para solucionar o excesso de exposição do BPI ao mercado angolano ao pôr fim à participação no banco no BFA), Fernando Ulrich recusou. “Ainda não enlouqueci”.

“Mesmo sem o BFA, o rácio de capital do BPI é um rácio adequado”, disse o presidente executivo do BPI, que quer que, “de uma vez por todas, as pessoas perceberam que a questão do BFA não tem impacto no capital do BPI”. (jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA