Bié: FAO prevê transformar escolas de campo em pequenas empresas

LOGOTIPO DA FAO (Foto: Angop)

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) prevê transformar, ainda este ano, as escolas de campo existentes na província do Bié em pequenas empresas, com vista a impulsionar o empreendedorismo no seio dos camponeses.

A informação foi avançada hoje à Angop, no Cuito, pelo director provincial da Agricultura Desenvolvimento Rural e Pescas no Bié, Marcolino Rocha Sandemba. Salientou que o sector controla 362 escolas de campo a nível da região.

Para ele, a mediação da FAO visa ajudar a província a fortalecer cada vez mais a agricultura familiar, uma vez que os próprios camponeses terão mais opção de combater a fome e a pobreza, no quadro das estratégias do Governo.

Disse será responsabilidade do governo da província, através da sua direcção fazer um acompanhamento do processo, pois está já em carteira a preparação do workshop provincial sobre a avaliação do impacto das acções desenvolvidas pela Organização Não Governamental (ONG).

As escolas de campo, referiu Marcolino Rocha Sandemba, estão implementadas em todos os municípios, com maior ênfase para as vilas do Chinguar, Andulo, Catabola e Camacupa, por estes, acrescentou estarem também representados pelo programa da Agricultura Familiar Orientada para o Mercado (Mosap).

Informou que o programa que a FAO desenvolve na região permitiu formar cerca de três mil camponeses em cada ano, desde a sua abertura na província em 2007. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA