Benguela: Sindicatos defendem actualização salarial para recuperação do poder de compra

Arquivo: Marcha Alusiva ao 1º de Maio dia do Trabalhador (Foto: Rosário dos Santos)

O secretário-geral adjunto da União dos Sindicatos de Benguela (USB), Albano Calei, propôs domingo ao Governo uma actualização salarial na base no actual custo de vida, de forma a recuperar o poder de compra dos trabalhadores, perdido na ordem dos 75 porcento, devido à crise económica que o país atravessa.

O responsável que discursava no acto provincial das comemorações do 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador, destacou as consequências negativas da crise financeira na vida dos trabalhadores angolanos, principalmente os de baixa renda, para reclamar da necessidade do reajuste salarial.

Albano Calei afirmou que, perante os efeitos nefastos da crise, urge a actualização dos salários da função pública de modo que os trabalhadores possam fazer face ao aumento do preço de bens e serviços de primeira necessidade.

“Um dos efeitos da crise é o aumento da inflação e consequente desvalorização da moeda nacional – o Kwanza -, a perda do poder de compra dos salários em 75 porcento, bem como o aumento do preço dos bens e serviços de primeira necessidade de forma galopante e a sua imensa procura”, frisou.

Na proposta, apresentada pelo secretário-geral adjunto da USB, Albano Calei, a organização sindical defende igualmente o incentivo ao diálogo tripartido-sindicato, governo e empregadores- em todo o sector público, incluindo o privado, no âmbito da política de auscultação e concertação social para busca de consensos contra os efeitos da crise económica.

Exige igualmente que o Executivo angolano tome decisões para disciplinar o mercado financeiro, evitando a circulação de moeda estrangeira fora do sistema bancário, mormente viabilizar a compra de divisas à classe empresarial para importação de bens de primeira necessidade não produzidos no país.

O sindicalista advogou que a política de diversificação da economia seja direccionada às províncias, tendo como base o potencial geoestratégico e produtivo a curto, médio e longo prazo e aproveitou ainda a oportunidade para expressar a satisfação da Unta e os seus sindicatos com o processo de cadastramento biométrico dos funcionários públicos em curso no país, para melhor identificação do servidor do Estado.

Por sua vez, o governador provincial de Benguela, Isaac Maria dos Anjos, garantiu que o Executivo ouviu e anotou as propostas dos sindicatos com vista à mitigação dos efeitos da actual crise económica e financeira do país na vida dos trabalhadores.

O governador que falava no acto alusivo às comemorações do 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador, disse ter tomado boa nota das reivindicações dos trabalhadores sobre a conjuntura económica do país, marcada por uma quebra de receitas provocada pela descida acentuada do preço do barril de petróleo no mercado internacional.

Isaac dos Anjos acrescentou que já está publicado o decreto 40/16 com as medidas específicas para a saída da crise, sem no entanto especificar quais as estratégias traçadas pelo Executivo para esse efeito.

“Com disciplina tudo será mais fácil. Se estivermos todos unidos, com certeza venceremos também a crise”, sublinhou.

O desfile alusivo às comemorações do Dia Internacional do Trabalhador contou com a participação de centenas de trabalhadores em representação dos mais diversos sectores da vida social e económica da província de Benguela, por intermédio dos sindicatos da Administração Pública e Serviços, Saúde, Enfermeiros, Educação, Construção Civil, Comércio, Indústria, Transportes e Telecomunicações, entre outros. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA