BAD pretende acelerar crescimento económico de África

Akinwumi Adesina (DR)

O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) apresentou nesta terça-feira, em Lusaka, Zâmbia, as prioridades do seu mandato e comprometeu-se a investir perto de 11 biliões de dólares, nos próximos cinco anos, para o sector da energia.

Akinwumi Adesina definiu os pilares de actuação do banco, tendo como metas a electrificação, indústria, alimentação e melhoria da condição de vida das populações.

Considerou que o new deal do Continente Africano reside no sector da energia que é a chave para a industrialização.

A meta de electrificação do continente tem um orçamento de 45 biliões de dólares e coincide com a agenda de outros organismos e líderes mundiais, como a União Africana, a Nova Parceria para o Desenvolvimento de África (NEPAD), União Europeia, China, Estados Unidos da América que pretendem democratizar o acesso da população à energia, por via do investimento na produção e distribuição.

Adesina foi eleito a cerca de um ano e anunciou algumas mudanças na estrutura da instituição, em alinhamento com a sua perspectiva e papel que joga o BAD no contexto africano.

Assim, foram criadas duas novas vice-presidências para atender a energia e o crescimento verde e outro para as questões de agricultura e desenvolvimento sustentável.

Ainda neste quadro, Adesina propõe uma movimentação dos directores executivos e dos vice-presidentes regionais.

O tema do apoio ao sector privado irá também merecer atenção especial durante o mandato do novo presidente, que acredita no papel que estes podem desempenhar no sentido da promoção e fomento de uma indústria transformadora capaz de acrescentar valor às matérias-primas que são exportadas pelo continente. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA