Austrália prende suspeitos de planejar viagem para lutar ao lado de extremistas

(AFP)

Cinco homens que tiveram os passaportes cancelados foram detidos e acusados nesta quarta-feira de tentativa de viajar, de barco, da Austrália até a Indonésia, de onde pretendiam seguir até a Síria para lutar ao lado de grupos jihadistas.

Entre os detidos está o conhecido pregador australiano Musa Cerantonio, que foi detido nas Filipinas em 2014 e deportado depois de ser acusado de estimular outras pessoas a unir-se à jihad no Iraque e na Síria, informou o canal ABC.

Os homens haviam comprado um barco de sete metros de comprimento, que transportaram por 2.840 quilômetros, de Melbourne ao estado de Queensland, de onde planeavam zarpar com destino à Indonésia, segundo a Polícia Federal australiana.

O procurador-geral George Brandis informou que os cinco foram detidos porque tentaram “sair da Austrália por mar, para viajar até a Indonésia e da Indonésia tentariam chegar à Síria para participar em acções hostis neste país”.

“Suspeitamos que buscavam sair da Austrália por barco porque não podiam viajar de avião, já que seus passaportes haviam sido cancelados”, disse.

A polícia não revelou quando os cinco homens foram detidos, mas o jornal The Age informa que a operação aconteceu na terça-feira.

O governo está cada vez mais preocupado com a possibilidade de que cidadãos australianos se unam a organizações como o grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

As autoridades calculam que 110 australianos deixaram o país para combater ao lado destes grupos. Brandis informou na semana passada que entre 50 e 59 australianos morreram em combates nos dois países. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA