Antigo CEO da Zurich suicidou-se

(Foto: D.R.)

Em três anos, é o segundo alto quadro da seguradora a pôr termo à vida. Martin Senn tinha saído da liderança da empresa em 1 de Dezembro passado, depois da compra falhada da britânica RSA.

O ex-presidente executivo Zurich suicidou-se na semana passada, sendo o segundo alto quadro da seguradora a pôr fim à vida nos últimos três anos.

A confirmação chegou da própria empresa, em comunicado citado pela Reuters.

“A família de Martin Senn [na foto] informou-nos que Martin cometeu suicídio na passada sexta-feira”, refere a nota da maior seguradora suíça. “Estamos estupefactos e profundamente abalados. (…) Com Martin, perdemos não só um louvável antigo CEO e colega, mas também um amigo com bom coração”, refere a nota da empresa.

Em Agosto de 2013, o administrador financeiro da companhia, Pierre Wauthier, também pôs termo à vida, justificando numa nota (intitulada “A quem possa interessar”) estar desmoralizado com aquilo a que chamou a atitude mais agressiva adoptada pela companhia, então liderada por Josef Ackermann. Este sempre negou qualquer responsabilidade no sucedido, mas viria a demitir-se.

Um mês antes, também um outro executivo de uma grande empresa suíça – no caso Carsten Schloter, o CEO da Swiss Telecom – cometeu suicídio.

Martin Senn, nascido em 1957, deixou a liderança da Zurich em 1 de Dezembro, depois da compra da britânica RSA não ter sido bem-sucedida.

As acções da Zurich valorizam 0,25% para os 244,5 francos suíços. (jornaldenegocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA