Angola na assembleia anual do BAD em Lusaka

Banco Africano de Desenvolvimento (MACAU HUB)

Uma delegação angolana chegou este domingo a Lusaka a fim de participar, de 23 a 27 de Maio, na 51ª Assembleia do Grupo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e na 42ª do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD).

A delegação é chefiada pelo secretário de Estado do Tesouro, João Francisco Boa Quipipa, e foi recebida no Aeroporto Internacional Keneth Kaunda pela embaixadora de Angola na Zâmbia, Balbina Silva, e nela integram directores e técnicos dos ministérios das Finanças (MINFIN) e do Planeamento e do Desenvolvimento do Território (MPDT) e do Banco Nacional de Angola (BNA).

Para além das reuniões estatutárias, a delegação angolana tem previstos encontros bilaterais com a alta direcção do BAD com o objectivo de proceder uma avaliação das perspectivas de cooperação nos próximos tempos.

Haverá ainda a apresentação do Relatório do BAD sobre a economia africana em 2016 e diversos painéis com destaque para temas como: Os caminhos para a transformação da agricultura em África até 2025; Mesa redonda com líderes africanos sobre energia e alterações climáticas; uma analise à evolução do risco soberano dos países de África subsaariana pela agência de rating Fitch, entre outros.

A assembleia tem na agenda assuntos diversos com destaque para aprovação do relatório anual do BAD do ano de 2015, rotação e eleição de directores executivos, aprovação das políticas relativas às operações e às finanças do grupo para os próximos anos, bem como debater temas de índole sócio-económica e financeira que possam influenciar o funcionamento da instituição e o desempenho da economia dos países africanos.

Este ano, as reuniões do BAD decorrem sob o lema “Energia e Alterações Climáticas” e, neste sentido, os delegados farão uma analise às metas do COP-21, na antecâmara da reunião de Marrakech em 2017, uma vez que existem vários fundos disponíveis a apoiar os países a reduzir a emissão de gases poluentes e de efeito estufa, limitando o aquecimento do planeta em pelo menos 2ºC entre 2030 e 2050.

Em Lusaka, durante os próximos dias estarão cerca de 5000 delegados, entre os quais governadores dos países junto do GBAD e outros convidados da alta-finança internacional. Na terça-feira, o Presidente da Zâmbia oferece um almoço oficial reservado aos convidados de honra e entidades protocolares no evento – Chefes de Estado e de governo, ministros, secretários de Estado e responsáveis do BAD.

Angola e o grupo BAD têm vindo a intensificar as suas relações nos últimos anos. Angola tornou-se em finais de 2015 o primeiro país africano participante do FAD e o banco reforçou a sua carteira de investimentos no país e tem vindo a financiar projectos estruturantes do PIB, particularmente em sectores como energia, transportes e saúde.

O BAD foi criado em 1964 e o FAD em 1971 e tem vindo a aumentar o seu apoio aos países africanos, principalmente em projectos de infra-estruturas ligados ao sector público (agricultura, transportes, água e saneamento e energia) e sector social (educação e saúde). As modalidades de financiamento predominantes do BAD são empréstimos directos a projectos e/ou subsídios. O actual presidente do GBAD é o nigeriano Akinwumi Adesina, eleito em 2015. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA