Angola aumenta exportação de crude para a China

(Foto: D.R.)

A potência asiática aumentou em 10%, no mês de Abril, as importações de crude angolano.

A instituição chinesa, General Administration of China Customs, divulgou um aumento de 10% nas importações de crude angolano para a China em Abril. As importações chinesas de crude angolano aumentaram 10% em Abril para 3.980.680 toneladas métricas, aproximadamente 29,17 milhões de barris, em comparação com o mês transacto. Em Abril, as importações chinesas de crude atingiram o segundo nível mais alto do ano corrente, tendo sido superado pelas 4.781.315 toneladas métricas, cerca de 47,05 milhões barris, registadas em Fevereiro que representam o máximo histórico.

Os dados reflectem uma melhoria das importações chinesas de crude no ano corrente apesar do arrefecimento económico do gigante asiático. Os bancos comerciais transaccionaram menos 44,95% no mercado interbancário, na última semana. O volume médio diário de transacções de cedência de liquidez entre bancos comerciais no mercado interbancário situou-se em 3,6 mil milhões AKZ na última semana, uma redução de 44,95% em relação a semana anterior, tendência que justifica a manutenção da taxa de juro Luibor Overnight em 14,01% pela terceira semana consecutiva.

Espaço Internacional

Na Zona Euro, a confiança do consumidor aumentou pelo segundo mês consecutivo em Maio. O índice de confiança do consumidor cresceu pelo segundo mês consecutivo em Maio para o máximo desde Janeiro, tendo-se situado em -7 pontos. O desempenho representa uma melhoria face aos -9,3 pontos verificados em Abril, e apesar de se manter em terreno negativo gera boas expectativas para a conclusão do segundo trimestre. No Japão, o índice allindustry index melhorou 0,1% em Março. O índice allindustry que avalia a evolução de todos sectores da economia registou um aumento de 0,1% em Março, o que contrasta com a queda de 0,9% verificada em Fevereiro.

Para o bom desempenho contribuíram o aumento da produção industrial em 3,8%, diferente dos -5,2% registado em Fevereiro, e o incremento das construções em 0,6% que compara aos -0,2% de Fevereiro. A economia nipónica tem adoptado um conjunto de estímulos para impulsionar a economia e evitar um cenário de recessão e deflação. Na Rússia, a taxa de desemprego caiu para 5,9% em Abril. O Comité de Estatística Russo divulgou uma queda da taxa de desemprego ajustada sazonalmente de 5,9% em Abril, uma contracção inesperada uma vez que os analistas de mercados antecipavam a manutenção da mesma em 6%, nível verificado em Março.

Destaques da Agenda Económica

Na agenda económica de Terça-feira, os analistas do Atlântico deram destaque à divulgação do PIB da Alemanha referente ao 1º trimestre do ano corrente, sendo esperado que o PIB ajustado à sazonalidade se situe em 0,7% e que o não ajustado atinja os 1,6%. Em França, o realce recaiu sobre a divulgação da confiança do sector manufactureiro referente ao mês de Maio, esperando-seque se mantivesse em 104 pontos. (opais)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA