AIA apela associados a aderirem ao associativismo

Arquivo: José Severino, Presidente da Associação Industrial de Angola (Foto: Lucas Neto)

O presidente da Associação Industrial de Angola (AIA), José Severino, apelou aos industriais da província de Benguela, a aderirem ao associativismo, como via mais consentânea de defenderem os seus interesses.

José Severino lançou esse apelo na sexta-feira (a noite), durante um workshop subordinado ao tema “O papel de Pólos de Desenvolvimento Industrial na Diversificação da Economia”, realizado no âmbito da Feira Internacional de Benguela, que decorre no estádio de Ombaka.

Segundo o responsável, quem não se associar a uma organização da classe vai ficar ultrapassado, porque nunca terá como defender os seus interesses perante o Estado, de modo individual.

Na sua intervenção, o presidente da AIA aflorou históricos da evolução industrial nacional, da época da colonização aos tempos subsequentes, até ao presente, em que a iniciativa privada quando organizada em associações ajuda os governos a ultrapassar constrangimentos.

“Não adianta alguém, com iniciativa empresarial procurar discutir os seus problemas de modo individual, o mais importante será o associativismo da classe” defendeu, dando como exemplo a província de Luanda que já tem criada uma Confederação de Associações Industriais, com 21 organizações associadas.

José Severino que dissertou desde a contestação da presença da Refinaria do Lobito que, segundo parecer dos industriais deveria situar-se entre os territórios de Benguela e Namibe, ao contrário do projecto do Lobito, apontou a chegada da corrente eléctrica proveniente de Cambambe como solução para as dificuldades actuais de Benguela.

Além deste tema, outros oradores descreveram as temáticas, como o Papel dos PDI, na diversificação da economia, o Desafio das Industrias face as actual situação, bem como foi apresentado o desempenho da empresa Marcomp (fábrica de artefactos de betão) localizada no Pólo Industrial da Catumbela.

Durante a FIB que encerra neste Domingo serão ainda realizadas, workshops e lançamento de livros. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA