Acordo renovado na aquacultura

(Foto: Angop)

Angola e o Brasil prorrogaram, na sexta-feira, por mais um ano o acordo de cooperação para capacitação de quadros angolanos em técnicas de aquacultura e gestão de recursos pesqueiros,

existente entre o Instituto Angolano de Desenvolvimento da Pesca Artesanal e da Aquacultura (IPA) e a Companhia brasileira de Desenvolvimento do Vale de São Francisco e Paraíba (CODEVASF), do Ministério da Integração Nacional.
O termo aditivo ao acordo de cooperação entre as duas instituições foi rubricado    em Brasília, pela parte angolana pelo embaixador de Angola no Brasil, Nelson Manuel Cosme, e pela parte brasileira pelo presidente da Companhia brasileira de Desenvolvimento do Vale de São Francisco e Paraíba, Filipe Mendes de Oliveira e pelo director da Área de revitalização das Bacias Hidrográficas, Eduardo Motta.
A cooperação entre o Instituto Angolano de Desenvolvimento da Pesca Artesanal e da Aquacultura e a Companhia brasileira de Desenvolvimento do Vale de São Francisco e Paraíba começou em 2012 com o envio regular de  técnicos angolanos ao centros integrados da companhia brasileira, onde durante seis meses apreenderam técnicas de propagação artificial e  de criação de peixes, conservação ambiental e limnologia no Centro Integrado de recursos pesqueiros e aquicultura de Betume, em Neópolis.
No seguimento da cooperação foi assinado em 2014 o acordo agora renovado por mais um ano, que permitirá continuar a treinar quadros angolanos em técnicas de aquicultura e gestão de recursos pesqueiros na área de abrangência da Companhia brasileira de Desenvolvimento do Vale de São Francisco e Paraíba, bem como  reforçar a capacidade humana e institucional do sector das pescas em Angola.
O Ministério das Pescas de Angola, no quadro da política do Executivo de erradicar a fome e a pobreza com a criação de postos de trabalho e de rendimento para as famílias realiza um ambicioso programa de fomento da aquicultura no país  com o apoio do Brasil. Os resultados foram avaliados  durante a visita que a ministra das Pescas, Vitória de Barros,  efectuou no ano passado ao país sul-americano. (jornaldeangola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA