Acidente de trânsito deixa 73 mortos no Afeganistão

(AFP)

Ao menos 73 pessoas morreram neste domingo na colisão de dois ônibus com um caminhão-tanque em uma importante estrada do sul do Afeganistão, anunciou o ministério da Saúde, em um dos piores acidentes nesta zona de conflitos.

A maioria das vítimas, entre elas crianças e mulheres, ficaram carbonizadas no incêndio desencadeado após a colisão, ocorrida no importante eixo Cabul-Kandahar, disse à AFP o porta-voz do ministério da Saúde, Ismail Kawoosi, que advertiu que o balanço pode aumentar.

Muitos feridos foram levados aos hospitais de Kandahar e da província de Ghazni, onde o acidente ocorreu.

No local do acidente, os veículos envolvidos estavam completamente destruídos e nuvens de fumaça encobriam o local.

O governador desta província, muito afetada pela insurreição talibã, informou a princípio sobre 7 mortos, explicando que 72 pessoas que estavam no ónibus haviam sido hospitalizadas. Mais tarde, seu porta-voz anunciou um balanço de 50 mortos.

O acidente foi registado na estrada que une as cidades de Cabul e Kandahar, um destacado eixo que atravessa várias zonas de insurgentes.

Nestas regiões, sabe-se que muitos condutores circulam de forma temerária, dirigindo bem acima dos limites de velocidade.

“Nosso motorista cometeu um erro, dirigia muito rápido”, declarou Esmatullah, um dos poucos passageiros que sobreviveu ao acidente, com ferimentos leves.

“A maioria dos motoristas de ónibus fuma haxixe, ópio e outras drogas na estrada. Estão totalmente fora de controle”, admitiu.

As estradas do Afeganistão são conhecidas por sua periculosidade e os acidentes fatais são habituais.

Em maio, um micro-ônibus capotou em uma estrada da província de Badghis (noroeste) provocando a morte de 18 pessoas.

Em abril de 2013, 45 pessoas morreram na colisão de um ónibus com um caminhão-tanque no sul da província de Kandahar.

O Banco Mundial desbloqueou 250 milhões de dólares em novembro para melhorar as estradas que atravessam as montanhas do Hindu Kush, entre Afeganistão e o noroeste do Paquistão. Estas são importantes passagens de circulação para o comércio que costumam ficar fechadas no inverno por culpa da neve.

A insegurança está aumentando no Afeganistão enquanto os talibãs avançam em sua insurreição contra o governo de Cabul, apoiado pelos ocidentais.

Os islamitas, que iniciaram sua insurreição em 2001 após a queda do regime, anunciaram o início de sua ofensiva de primavera no dia 12 de abril, chamada de “Operação Omari” em homenagem ao fundador dos talibãs, o Mulá Omar, cuja morte foi anunciada no ano passado. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA