Abertura dos mercados: Bolsas europeias em queda. Petróleo e euro em alta

(Bloomberg)

As principais praças europeias estão a negociar em terreno negativo, numa altura em que os investidores incorporam os resultados apresentados por bancos. O petróleo e o euro estão em alta.

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,56% para 5.058,08 pontos

Stoxx 600 perde 0,22% para 340,48 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 2,9 pontos para os 3,074%.

Euro avança 0,36% para 1,1575 dólares

Petróleo em Londres cresce 1,07% para 46,32 dólares o barril

Bolsas europeias no vermelho
As principais bolsas europeias estão a negociar sobretudo em queda, numa altura em que os investidores incorporam os resultados apresentados por alguns bancos, segundo a Bloomberg. O principal índice holandês lidera as queda no Velho Continente ao recuar 1,15%, seguido do germânico DAX, que desce 0,77%. O PSI-20 perde 0,56% e o Stoxx 600, índice de referência, cai 0,22%.

Na Ásia, de acordo com a Bloomberg, durante a sessão as acções oscilaram entre perdas e ganhos depois de a China ter apresentado dados relativos à produção piores do que o estimado pelos analistas.

Juros em queda

Os juros da dívida pública portuguesa no mercado secundário estão a recuar em todos os prazos. A dez anos, o prazo considerado de referência, a “yield” desce 2,9 pontos base para 3,074%. No caso da dívida germânica, não se verifica uma tendência definida. A dez anos, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si somam 0,2 pontos base para 0,269%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 279,2 pontos.

Euro em máximos de Agosto

O euro sobe 0,35% para 1,1575 dólares, um máximo de Agosto, pela quinta sessão consecutiva. Os dados económicos publicados nos Estados Unidos têm reforçado a perspectiva de que a Reserva Federal irá adiar a subida dos juros, pressionando o dólar e, assim, impulsionando a moeda única.

Petróleo volta às subidas

O petróleo está a valorizar 1% nos mercados internacionais, próximo de máximos de um ano, invertendo a tendência de queda das sessões anteriores. O Brent, negociado em Londres, avança 1,07% para 46,32 dólares por barril. O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, sobe 1,09% para 45,27 dólares por barril. Apesar desta subida, de acordo com uma estimativa conduzida pela Bloomberg, as reservas de matéria-prima nos Estados Unidos terão aumentado em 500 mil barris novamente na semana passada, o que pode pressionar a cotação.

Ouro alivia e negoceia abaixo dos 1.300 dólares

A cotação do metal amarelo está, esta manhã, a aliviar um pouco da subida de ontem. Por esta altura, o ouro para entrega imediata soma 0,26% para 1.294,90 dólares por onça. Na sessão desta segunda-feira, a matéria-prima superou a fasquia dos 1.300 dólares por onça, um nível em que não tocava desde o arranque de 2015. A puxar pela matéria-prima esteve, além da tensão nos mercados, a recuperação dos preços do petróleo que levou os investidores a procurarem protecção contra a inflação.

Destaques do dia

Bruxelas e Lisboa entram de novo em choque. O governo não só propõe menos consolidação, como as medidas que adopta não chegam para a redução de défice que promete. Comissão Europeia apresenta esta terça-feira números diferentes.

Moçambique: a tempestade perfeita à espera de Marcelo.Marcelo Rebelo de Sousa escolheu Moçambique como destino da sua primeira visita oficial enquanto Presidente da República. O país, do qual o seu pai foi governador entre 1968 e 1970, atravessa uma grave crise económica, social e política.

Queda do carvão e gás natural retira energia à economia moçambicana. A economia moçambicana está a ser afectada pela queda do preço do carvão. Já o colapso do preço do gás natural atrasou o investimento estrangeiro.

Portugal paga metade da ajuda do FMI com venda do NB. O Governo já conta com a venda este ano. Revelou-o no Programa de Estabilidade e acrescentou que possibilitará mais pagamentos ao FMI. O IGCP diz que serão reembolsados mais quatro mil milhões.

BCP já avisou que quer ir ao Novo Banco. Bruxelas decide. O BCP quer entrar na corrida ao Novo Banco e já “deu a mensagem a quem tinha de dar”. Interesse é financeiro e estratégico. Decisão cabe a Bruxelas. Para já, banco quer devolver 250 milhões de apoio público.

Venda de dívida pública pós-Banif ajuda Totta. A gestão de títulos de dívida feita pelo Santander Totta permitiu ao banco melhorar as contas no primeiro trimestre do ano. A aquisição do Banif teve um impacto “marginal” nos lucros, mas várias foram as rubricas que deram um pulo com a operação.

RTP vende jogos do Euro 2016 à Sport TV. A estação pública fechou acordo com a Sport TV para a venda dos jogos do Europeu de Futebol 2016. O pacote inclui a transmissão pela RTP de todos os jogos da selecção de Portugal. A venda de publicidade para os jogos está a ter “bastante receptividade”.

Banca à defesa, retalho ao ataque na dívida do Benfica.O Benfica colocou 50 milhões de euros em obrigações, com a procura a aproximar-se de 130 milhões de euros. Apesar do apetite dos investidores de retalho, Domingos Soares de Oliveira diz que recorrer a crédito da banca “é extremamente difícil”.

O que vai acontecer hoje

Previsões da Comissão Europeia – A Comissão Europeia publica as previsões económicas da Primavera.

Resultados da banca – HSBC, UBS e Commerzbank revelam as contas referentes aos primeiros três meses deste ano.

Actividade industrial na China – Será publicado o índice PMI, que mede a actividade industrial na segunda maior economia do mundo, a da China. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA