[0-2] ‘Águia’ volta a passar teste e título vai decidir-se na Luz

(DR)

O Benfica venceu, este domingo, o Marítimo no Estádio dos Barreiros por dois golos sem resposta e voltou ascender à liderança. Mitroglou e Talisca fizeram os tentos que colocaram os encarnados mais perto do título.

Sob a pressão do Sporting ter vencido, o Benfica perece ter entrado nos Barreiros sem saber o que fazer à bola para descobrir os caminhos do golo. Rui Vitória apostou em Carcela para o lugar de Gaitán, lesionado, a única alteração em relação ao último encontro do campeonato

Já a formação da casa, apresentou-se organizada e tentava sair em contra-ataque. Contudo a falta de ideias fazia-se notar em ambas as equipas. O Marítimo espreitava os contragolpes por intermédio de Fransérgio e Djoussé, mas era a o conjunto da Luz quem detinha o ascendente do jogo.

Contudo, só a partir da meia hora é que se começou a sentir um domínio evidente das ‘águias’, com Jonas a ter a grande oportunidade do conjunto da Luz. Num remate portentoso, o brasileiro enviou a bola à barra. Faltavam ideias ao Benfica, mas o artista mostrava que a arte continuava intacta nos seus pés e que a qualquer momento poderia fazer o primeiro da partida.

O Benfica intensificou o ritmo de jogo e os insulares foram obrigados a recuar, embora mantivessem o último reduto compacto. Carcela era um dos mais inconformados, tal como Mitroglou, mas na hora do remate, a bola nunca levava a direção certa.

Ao minuto 37, tudo ficou mais complicado quando Renato Sanches acabou expulso depois de uma falta infantil sobre Djoussé. O médio tinha ficado amarelado minutos antes por simulação e acabou expulso. Com um nulo se chegou ao intervalo, numa primeira parte que foi um deserto de ideias.

O segundo tempo não podia ter começado da melhor forma para as ‘águias’, com o tento de Mitroglou. O grego aproveita um desvio infeliz de um jogador insular e ficou na cara de Salin, tendo desviado com grande classe para o fundo da baliza. O golo veio no momento certo e o Benfica acabou por recuar deixando apenas Mitroglou na frente.

O Marítimo subiu linhas, mas não tinha um fio condutor de jogo e limitava-se a despejar bolas para a área, lances que eram fáceis para a defensiva encarnada limpar. Quando menos se esperava, Talisca converteu um livre de forma exemplar e acabou com a incerteza. Até ao final, Jiménez ainda teve oportunidade para aumentar a contagem, mas a bola bateu na trave com estrondo.

As ‘águias’ foram um justo vencedor e com este triunfo, algo sofrido, voltaram a ter mais dois pontos do que o Sporting, deixando a decisão do título para a última jornada, no Estádio da Luz.

Momento do Jogo:

O golo de Mitroglou, logo a abrir o segundo tempo, desbloqueou uma partida que parecia complicada e colocou um ponto dfinal no ervosismo encarnado.

Onze titular do Marítimo: Salin, João Diogo, Maurício, Dirceu, Patrick, Fransérgio, Plessis, Alex Soares, Éber Bessa, Djoussé e Edgar Costa.

Onze titular do Benfica: Ederson, André Almeida, Lindelof, Jardel, Eliseu, Fejsa, Renato Sanches, Pizzi, Carcela, Jonas e Mitroglou.

Antevisão:

Pressionados pela goleada importante pelo Sporting, o Benfica entra este domingo no ‘Caldeirão dos Barreiros’ com o objetivo de assegurar a vitória diante de um Marítimo que nada tem a ganhar, mas que entra motivado pela polemica do ‘jogo da mala’.

A tática é simples: vencer para reassumir a liderança e poder celebrar na próxima jornada e aumentar o recorde de vitórias consecutivas para 11. Rui Vitória deverá fazer regressar Jardel ao ‘onze’ e Salvio deverá alinhar no lugar do ausente Gaitán, mantendo a habitual estrutura da equipa com a parelha Jonas-Mitroglou na frente de ataque.

No jogo 50 do Benfica, Rui Vitória quer dar um passo de gigante rumo à conquista do ‘35’. Uma vitória pela margem mínima, tendo em conta os últimos resultados dos ‘encarnados’ saberá a goleada. O conjunto da Luz venceu dez dos últimos 11 encontros entre as duas equipas, sendo que a formação de Nelo Vingada apenas conseguiu três pontos em apenas uma ocasião.

O triunfo é único resultado que interessa perante um Marítimo que vem de duas derrotas e que não tem mais em jogo do que o orgulho. Perante um Benfica que tem vencido os últimos encontros pela margem mínima e, por vezes, de forma algo sofrida, os insulares poderão tentar uma gracinha, fazendo jus à tradição. Isto porque, nos 35 encontros no reduto dos ‘verde rubros’, as ‘águias’ não conseguiram vencer em metade deles.

A verdade é que será um jogo de nervos, onde o coração e a razão terão de viver em equilíbrio durante 90 minutos, uma partida que vive sob a sombra do temporal que se vai fazendo sentir no ‘jardim do Atlântico’. Os Barreiros vão ser um verdadeiro Caldeirão em ebulição quando, às 20h30, quando Fábio Veríssimo der o apito inicial. (Noticias ao Minuto)

por Paulo Rocha

DEIXE UMA RESPOSTA