Uíge: Mais de 30 mil habitantes terão acesso água potável no município do Songo

Agua potável (DR)

Trinta e dois mil 200 pessoas do município do Songo vão ter acesso a água potável, através do “Projecto de Água e Saneamento Liderado pela Comunidade”, lançado sexta-feira, na vila do Songo, a 40 quilómetros a norte da cidade do Uíge, a ser implementado pela Igreja Anglicana em Angola.

O Director da USAID em Angola, Jason Fraser, que falava no município do Songo, durante a cerimónia do lançamento do referido programa, disse que este projecto estender-se-á a 81 localidades da circunscrição com a construção de fontenários de água e latrinas nas comunidades.

Jason Fraser frisou que o projecto ora lançado no município do Songo vai beneficiar cerca de 32.200 habitantes, adiantando esperar com esta acção continuar a trabalhar com o governo de Angola para se atingir os objectivos que visam a melhoria dos serviços de água e saneamento das populações, especialmente do Uíge, província onde a USAID já tem contado com o apoio incondicional do governo local nos diferentes programas por si financiados, especialmente no sector da saúde.

O responsável deu a conhecer que a USAID vem financiando projectos de água e saneamento desde 2009, em sete províncias do país, incluindo a do Uíge, onde o governo dos Estados Unidos da América, através da mesma organização (USAID), apoia esse projecto no município do Songo.

Jason Fraser salientou ainda que o projecto alinha-se às distintas iniciativas existentes entre os Governos dos Estados Unidos da América e de Angola, esperando que esse programa venha contribuir igualmente para a melhoria da saúde das comunidades beneficiárias do município do Songo, através da redução dos índices das doenças relacionadas com água e saneamento.

Entretanto, a Vice-governador do Uíge, para o sector político e social, Maria Fernandes da Silva e Silva, que presidiu o acto de lançamento do projecto, destacou a potencialidade hídrica da província do Uíge, avançando que toda a sua região é rica em recursos hídricos e defendeu a necessidade de se continuar a desenvolver técnicas adequadas, para a população do município do Songo, para que possa beneficiar da água tratada e do saneamento.

A responsável recomendou a administração municipal do Songo, no sentido de monitorar e levar a cabo campanhas de sensibilização, incutindo a população o respeito e valorização a este bem comum, acrescentando que o projecto ora lançado, vem juntar-se a vários que o governo provincial tem implementado como a construção de sistemas de tratamento e abastecimento de água para todos os municípios e comunidade, com vista a cumprir com o programa integrado de combate a fome e pobreza.

“Congratulamo-nos com a brilhante iniciativa da Igreja Anglicana pela concepção e lançamento deste Projecto “Água e Saneamento”, que será desenvolvido em 81 comunidades rurais com a duração de três anos”, esclareceu.

Já a administradora municipal do Songo, Adelina Alexandre Pinto, deu a conhecer que a água potável já jorra em 17 das 81 aldeias que compõem o município do Songo, através do programa “Água para Todos”, gizado pelo Governo Angolano e que está a ser implementado pela administração municipal.

O município do Songo possui uma região territorial de 2.800 quilómetros quadrados, distribuídos em uma comuna, 13 regedorias, 81 aldeias e conta com uma estimativa de 62.362 habitantes, segundo os dados preliminares do Censo realizado em 2014. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA