UE reitera oferta para ajudar Moçambique nas negociações de paz

(DW)

Filipe Nyusi teve encontros, esta quinta-feira (21.04), com os presidentes do Parlamento e Comissão Europeia e com a Alta Representante da UE para os Negócios Estrangeiros. Os temas dos encontros não foram divulgados.

Depois da visita à Alemanha, o chefe de Estado moçambicano encontra-se em Bruxelas com a agenda preenchida. Filipe Nyusi reuniu-se, esta quinta-feira (21.04), à porta fechada com Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu.

Na agenda constaram ainda encontros com Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia e com a Alta Representante da União Europeia para a Política Externa e Segurança e vice-Predidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini.

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, debateu esta quinta-feira (21.04.) com o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, o regresso dos conflitos ao país e reiterou a oferta de Bruxelas para ajudar nas negociações de paz.

Segundo um comunicado, Mogherini e Nyusi, “debateram os desafios colocados pelo regresso dos conflitos a Moçambique e que afectam as pessoas, o desenvolvimento económico e a estabilidade democrática”.

No encontro, a Alta Representante para a Política Externa e de Segurança da UE disse ao chefe de Estado moçambicano que “é importante que haja acordo sobre o enquadramento para uma solução política” para os conflitos.

Mogherini reiterou a disponibilidade da UE para apoiar “os esforços para acabar com todas as formas de violência política e apoiar o compromisso moçambicano para um consenso político renovado e sustentável”.

Presidente Nyusi espera acordo com FMI sobre a dívida do país

À margem dos encontros em Bruxelas, o Presidente moçambicano disse esperar chegar a um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a dívida do país, salientando que o problema “tem de se resolver”.

“Estamos a dar a cara para encontrarmos soluções com o FMI e voltarmos à vida normal”, afirmou Filipe Nyusi. “Os esclarecimentos já estão a ser feitos, isto tem que se resolver, não há interesse em incriminar o país”, acrescentou o Presidente, referindo-se à suspensão do pagamento da segunda parcela de um empréstimo do FMI.

O chefe de Estado de Moçambique encontra-se esta quinta e sexta-feira em Bruxelas para contactos com autoridades e empresários belgas e com representantes da União Europeia. (DW)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA