Trump aumenta domínio na corrida republicana para candidatura à Casa Branca

Trump faz discurso em Indianapolis. 20/4/2016. (REUTERS/Aaron P. Bernstein)

O favorito Donald Trump mostrou sinais de que está se aproximando da nomeação republicana para candidato a presidente dos Estados Unidos nesta quarta-feira, quando o seu principal rival, Ted Cruz, reconheceu que a sua única esperança de obter o controle é uma disputa na convenção.

Trump derrotou Cruz de forma arrasadora na terça-feira nas primárias republicanas de Nova York, enquanto que a favorita entre os democratas, Hillary Clinton, quebrou a série de conquistas estaduais do rival Bernie Sanders com uma vitória significativa.

Recuperando-se de uma derrota em Wisconsin há duas semanas, Trump se posiciona para uma outra grande noite em 26 de Abril, quando Pensilvânia, Connecticut, Rhode Island, Delaware e Maryland, Estados do nordeste dos EUA, terão as suas prévias.

“Ted Cruz está matematicamente fora da corrida”, disse Trump nesta quarta-feira via Twitter. “Agora tudo que ele pode fazer é ser um desmancha-prazeres, o que nunca é algo bom de ser. Eu vou derrotar Hillary!” Trump, de 69 anos, previu “semanas incríveis” agora para a sua campanha.

Cruz, em entrevista à imprensa durante a reunião do Comité Nacional Republicano na Florida, disse que nem ele nem Trump vão conseguir os 1.237 delegados necessários para levar a nomeação sem disputa na convenção em Cleveland que começa em 18 de Julho.

“O que está claro hoje é que nós estamos rumo a uma convenção com disputa. Ninguém é capaz de chegar aos 1.237. Eu não vou alcançar os 1.237, e Donald Trump não vai alcançar os 1.237”, afirmou Cruz, senador pelo Texas.

Nova York aumentou o número de delegados de Trump para 845, enquanto Cruz tem 559, e Kasich conta com 147, segundo a Associated Press. Na próxima terça-feira, as prévias oferecem 172 delegados para os republicanos.

VANTAGEM DE HILLARY SOBRE TRUMP

Se Trump, um bilionário de Nova York, e Hillary Clinton, ex-secretária de Estado, vierem a garantir as nomeações de seus partidos, uma pesquisa nacional da Reuters/Ipsos mostra Hillary com uma considerável vantagem se as eleições de 8 de Novembro fossem hoje.

Na última pesquisa com prováveis votantes, 45 por cento disseram que apoiariam Hillary, enquanto 35 por cento ficariam com Trump, se os dois concorressem. O levantamento feito entre 15 e 19 de Abril ouviu 1.334 pessoas e tem um intervalo de credibilidade de 3,1 pontos percentuais. (REUTERS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA