Presidente do PAIGC pede eleições gerais na Guiné-Bissau

Domingos Simões Pereira (VOA)

Domingos Simões Pereira fez esta declaração na véspera da mensagem à Nação do Presidente da República nesta terça-feira.

O presidente do PAIGC e antigo primeiro-ministro defendeu nesta segunda-feira, 18, a realização de eleições gerais na Guiné-Bissau.

A solução para a crise política, de acordo com Domingos Simões Pereira passa por “devolver o poder ao povo”.

“Não podemos continuar a fingir que não sabemos que é isso que o Presidente José Mário Vaz quer. Enquanto José Mário Vaz não colocar na governação pessoas da sua confiança não vai descansar”, acusou Simões Pereira num encontro de militantes do PAIGC em Cacheu.

O primeiro-ministro demitido em Agosto considerou que não se pode ficar “impávido e sereno” quando o Presidente da República “não quer deixar” o seu partido governar, mesmo tendo sido o vencedor das eleições legislativas com uma maioria absoluta.

Simões Pereira avisou ainda que a Guiné-Bissau corre o risco de perder os apoios prometidos pela comunidade internacional no valor de 1,5 mil milhões de dólares, enquanto para se realizar eleições gerais seriam necessários “apenas 10 milhões de dólares”.

“José Mário Vaz tem que respeitar as pessoas, porque nós o respeitamos enquanto Presidente da República”, concluiu Domingos Simões Pereira, um dia antes de o Presidente guineense fazer um discurso à nação a partir do Parlamento, nesta terça-feira, 19, em Bissau. (VOA)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA