Polícia nacional exortada a combater corrupção no seio dos efectivos

Ambrósio de Lemos, Comandante-Geral da Policia Nacional (Foto: Angop/Arquivo)

O Comandante-Geral da Polícia Nacional, Comissário -geral Ambrósio de Lemos, exortou terça-feira, nesta cidade, o Conselho Consultivo do Comando Provincial da Corporação, a combater severamente a corrupção no seio dos efectivos, por formas a se evitar despedimentos.

Ambrósio de Lemos que falava durante um encontro com os membros do conselho consultivo normal do comando provincial da polícia nacional referiu que o departamento de educação moral e cívica deve intensificar as suas acções e, transmitir aos seus efectivos as formas de como se deve combater o fenómeno “gasosa”.

Explicou que o Comando Geral da polícia Nacional, de forma severa e rigorosa, está a combater este mal que enferma a corporação, razão pela qual está despromover e a demitir efectivos que praticam este acto.

Por outro lado fez saber que os efectivos da corporação devem tratar de forma condigna e, darem respostas condicentes aos cidadãos, sempre que estes procurem os serviços da polícia.

“É necessário que o polícia tenha disciplina quando está a atender a população, quer na rua como nas unidades”, disse.

O combate a criminalidade e a sinistralidade rodoviária foi ainda apontado pelo Comandante Geral, como sendo a meta a ser atingida nos próximos tempos pela polícia nacional.

Relativamente a situação da segurança pública da província, o responsável considerou de calma atendendo o baixo índice de crimes registados semanalmente.

A visita do Comandante Geral a província visa constatar o estado organizativo, dificuldades e necessidades do trabalho da polícia nacional na província de Malanje.

Durante dois dias o Comissário-geral vai visitar as instalações do comando municipal de Cacuso, esquadras da Cangambo, Maxinde, unidade de trânsito e da polícia de intervenção rápida, o centro regional de formação de polícias, bem como manterá encontros com o Juiz Presidente do Tribunal Provincial e com o Sub-Procurador provincial da República. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA