Ler Agora:
Polícia brasileira relaciona subornos de construtora com Lula da Silva
Artigo completo 2 minutos de leitura

Polícia brasileira relaciona subornos de construtora com Lula da Silva

Em causa, o pagamento de 3,6 milhões de reais (879 mil de euros) ao Instituto Lula e à LILS Palestras.

Um documento da Polícia Federal (PF) brasileira indica pagamentos realizados ao Instituto Lula e à LILS Palestras na contabilidade usada pela construtora Andrade Gutierrez para pagamento de subornos, divulgou esta terça-feira a imprensa brasileira.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, um laudo da PF, feito com base na quebra do sigilo fiscal da empreiteira Andrade Gutierrez destaca o pagamento de 3,6 milhões de reais (879 mil de euros) ao Instituto Lula e à LILS Palestras, ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2011 e 2014.

São valores que “transitaram” por uma conta chamada “overhead” e que fizeram o mesmo percurso do dinheiro que abasteceu empresas investigadas por lavagem de dinheiro de subornos alvo da Operação Lava Jato (que investiga corrupção, branqueamento de capitais e evasão fiscal, nomeadamente na Petrobras), como empresas ligadas aos operadores financeiros Adir Assad, Fernando “Baiano” Soares, Mário Goes e Júlio Gerin Camargo, todos presos.

“Foram identificados lançamentos contábeis indicativos de pagamentos e doações a empresas e instituições vinculadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no montante de R$ 3.607.347, entre os anos de 2011 e 2014”, pode ler-se no documento da PF

“Cumpre destacar que, conforme subseção III.3.5, recursos destinados à LILS transitaram pela conta contábil ‘overhead’ e realizaram percurso similar ao de empresas que estão sendo investigadas no âmbito da Operação Lava Jato pela prática de lavagem de capitais e/ou pelo recebimento dissimulado de recursos.”

O documento data de 25 de fevereiro e foi elaborado pelos peritos criminais federais Daniel Paiva Scarparo, Audrey Jones de Souza e Ivan Roberto Ferreira Pinto. De acordo com o Estadão, o documento servirá para a Lava Jato cruzar dados documentais com as declarações dadas pelos executivos da empreiteira, no acordo de delação premiada. (TVI24)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »