Países da UE fecham acordo sobre nova guarda de fronteira

(AFP)

Os ministros do Interior da UE adoptaram formalmente nesta quinta-feira um acordo para a criação de um novo corpo europeu de guardas de fronteira, que deverá garantir o controle dos limites externos do bloco, colapsados pelo fluxo migratório.

A proposta adoptada em Luxemburgo seguirá agora para o Parlamento Europeu, que deve se pronunciar em Junho, o que permitirá que este novo corpo esteja operacional três meses depois.

“Se for mantido este ritmo, acredito na possibilidade de conclusão do processo legislativo até Junho”, declarou em entrevista colectiva o comissário europeu para temas migratórios, Dimitris Avramopoulos.

Em Dezembro, os líderes da UE fixaram para 30 de Junho o prazo para se acordar um novo corpo, que é um dos principais pontos para se enfrentar o fluxo migratório, junto com o acordo obtido com a Turquia.

O novo corpo gozará de mais atribuições que a actual guarda Frontex e os Estados deverão colocar a sua disposição ao menos 1.500 agentes prontos para serem mobilizados em poucos dias.

A Comissão estima que em 2020 a nova estrutura poderá ter 1.000 agentes permanentes.

O objectivo do corpo é evitar que o caos nas fronteiras externas comprometa a livre circulação no espaço Schengen, um dos pilares da UE.

A gestão das fronteiras externas se converterá em uma responsabilidade compartilhada pelos Estados e deixará de ser uma carga para os países mais expostos, como Itália e Grécia.

“Se queremos garantir a livre circulação na UE temos que ter a coragem e a força de defender melhor as fronteiras externas”, destacou o ministro italiano do Interior, Angelino Alfano. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA