OMS apoia Governo angolano no combate à febre-amarela

Presidente José Eduardo dos Santos (à dir.) recebe em audiência Margaret Chan - Directora Geral da OMS (Foto: Francisco Miudo)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai apoiar o governo angolano com meios financeiros e pessoal, visando combater o surto de febre-amarela e outras doenças em Angola, revelou hoje, terça-feira, a directora deste organismo internacional, Margareth Chan.

A responsável da OMS anunciou o facto à imprensa, no final da audiência que lhe foi concedida hoje, terça-feira, no Palácio Presidencial, pelo Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, com quem abordou questões ligadas aos programas de apoio desta instituição a Angola, numa altura em que se regista um surto de febre-amarela no país.

“Estou em Angola pela segunda vez e numa altura em que o país está a viver um surto de febre-amarela. Nós (a delegação da OMS) tivemos a oportunidade de visitar alguns centros de vacinação, bem como o Hospital Geral de Luanda e registamos que há progressos, na medida que o número de casos está a reduzir”, ressaltou .

Com isso, prosseguiu, “gostaríamos de felicitar o governo da República de Angola pelos esforços que estão sendo empreendidos.

Referiu que foram informados do prosseguimento da campanha de vacinação, que já abrangeu cerca de 87 porcento da população de Luanda.

Margareth Chan defendeu que o trabalho de vacinação deve ser contínuo, não só em Luanda, mas também em outras províncias ou regiões do país, onde começam a registar casos desta epidemia.

Apelou as famílias angolanas a empenharem-se no combate aos vectores (mosquitos), porquanto, na verdade, dois terços dos mosquitos que são os causadores desta doença crescem ou se reproduzem nas residências.

“Então é preciso que haja o engajamento de todas as famílias para o combate dos mosquitos”, ressaltou Margareth Chan, que se encontra em Angola em visita de trabalho à convite das autoridades angolanas.

Por seu lado, a directora regional da OMS para África, Matshidiso Moeti, que acompanha a directora da organização nesta visita e participou da audiência, manifestou a sua satisfação pelos progressos registados, no que diz respeito a erradicação da poliomielite.

Deste modo, Matshidiso Moeti exortou a todos os actores no sentido de participarem activamente nos esforços do Governo angolano, tendentes a combater a poliomielite, a febre-amarela e outras doenças.

“As famílias e as comunidades devem fazer a sua parte e os agentes do sector privado e empresarial participarem com apoios financeiros ao governo. A população deve colaborar, participando nas campanhas de vacinação”, destacou.

Deu a conhecer que a OMS tem actualmente 65 quadros em Angola, provenientes da sede da organização, que vão ajudar o governo no combate dessa epidemia.

O ministro da Saúde, Luís Gomes Sambo, testemunhou a audiência que o Chefe de Estado angolano concedeu. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA