Ministra da Cultura reafirma aposta na formação e incentivo a pesquisa

Grupo de dança tradicional Kilandukilu (Foto: Henri Celso)

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, reafirmou nesta sexta-feira, em Luanda, a aposta do Executivo na promoção da formação e incentivo a pesquisa no domínio da dança, nos seus vários estilos e géneros e apoia a sua aplicação na produção de obras.

Numa mensagem dirigida aos agentes ligados ao mundo da dança no país, no âmbito do Dia Mundial da Dança, que hoje se assinala, a ministra adianta que o Executivo propõe-se continuar a dar a atenção e apoio institucional às associações e aos grupos de dança para que estes atinjam níveis de criação e apresentação que a todos orgulhem e sirvam de motivação ao surgimento de outros praticantes e grupos que contribuam assim para o aumento da oferta e da prática cultura e, deste modo, para o bem-estar da sociedade.

“Reitera o interesse em ver desenvolver-se o associativismo cultural e a prática artística amadora, sem prejuízo para a profissionalização, como forma de preencher os tempos de ócio em todas as idades e particularmente na juventude e, por esta via, criar mentes sãs, úteis e necessárias ao desenvolvimento harmonioso da nossa sociedade”, lê-se na mensagem.

Carolina Cerqueira reafirma o seu desejo de que o Dia Mundial da Dança sirva para reavivar o interesse nacional pela dança, apelando à sensibilidade do empresariado nacional e demais entidades para o apoio à mesma, contribuindo assim para a defesa e valorização de elementos intrínsecos da angolanidade ao mesmo tempo que se reconhecem e se incorporam as técnicas que constituem património universal.

A governante parabeniza os dinamizadores dessa nobre arte, nomeadamente bailarinos, coreógrafos, instrutores, professores, produtores, promotores, técnicos, gestores, críticos e todos os outros intervenientes neste domínio particular da Cultura, pelo contributo que, quantas vezes em condições adversas, têm dado em prol do desenvolvimento da dança em Angola.

De acordo com Carolina Cerqueira, a circunstância actual exige uma avaliação realística do estado do trabalho e dos grupos e quiçá constatar que muito trabalho há ainda por se fazer, par que os grupo alcancem o nível de organização interna necessário e performances artísticas nos espectáculos, que lhes permitam o reconhecimento das sociedade e tornem a sua produções apetecíveis e desejadas, quer pelo grande público, quer pelo público especializado, nacional ou estrangeiro.

A data foi instituída em 1982 pelo Comité Internacional da Dança (CID) da UNESCO, em homenagem ao criador do ballet moderno, Jean-Georges Noverre, nascido em 1727, sendo um dos grandes nomes mundiais desta modalidade artística. A comemoração da data têm como um dos objectivos principais mostrar a universalidade da dança, independentemente das barreiras políticas, culturais e éticas, que possam existir. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA