Marcelo: “Falta cumprir muita coisa”

(TVI24)

Presidente da República desejou ontem, na abertura do News Museum, que no final do seu mandato o país esteja “mais desenvolvido” e “integrado no quadro europeu”.

O Presidente da República desejou hoje, na abertura do NewsMuseum, no centro histórico de Sintra, que no final do seu mandato o país esteja “mais desenvolvido” e “integrado no quadro europeu”.

“Daqui a cinco anos gostava de ver uma retrospetiva de um país mais rico, mais justo, mais desenvolvido, mais integrado no quadro europeu, mais integrado num mundo aberto”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, na abertura do novo Museu das Notícias.

O chefe de Estado foi o visitante “número um” do novo espaço, que considerou ser “também um triunfo do 25 de Abril e um triunfo do que é Portugal hoje”.

“Falta cumprir muita coisa, mas também já cumprimos muita coisa. O ser possível estarmos aqui, neste museu, é uma prova de que nós, portugueses, somos excecionais”, salientou Marcelo Rebelo de Sousa, quando questionado sobre o que falta cumprir das promessas da revolução de 1974.

O Presidente chegou ao NewsMuseum, dedicado às notícias e à comunicação, acompanhado do primeiro-ministro, António Costa, e do presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, entre outras personalidades da política, da cultura e da comunicação social.

O NewsMuseum – Museu das Notícias, dos Media e da Comunicação ocupa as antigas instalações do Museu do Brinquedo, no centro histórico de Sintra, e possui mais de 25 módulos temáticos, distribuídos pelos três andares do edifício, cedido pelo município de Sintra a uma associação criada por Luís Paixão Martins, antigo jornalista e consultor de comunicação.

O imóvel exibe equipamentos da Lusa, beneficiando do acesso ao acervo noticioso e fotográfico da agência portuguesa e da sua congénere espanhola Efe, bem como de conteúdos cedidos por outras entidades, como a RTP.

O “iArena”, um ‘lounge’ com 67 metros quadrados, com um ecrã tátil numa visão quase a 360 graus, apresenta áreas temáticas dedicadas aos jornalistas que se tornaram notícia, ao “altar dos ‘media'” relacionado com Fátima, uma estante multimédia sobre comunicação e a descrição do Bairro (Alto) lisboeta, onde se concentravam os principais jornais nacionais.

Uma torre metálica com 70 monitores (‘A Pirâmide de Babel’), da altura dos três andares, está ligada aos principais canais televisivos de notícias do mundo, a par da cascata de notícias da aplicação “último minuto”, projetada na parede, em tempo real, que debita centenas de títulos nacionais e internacionais, com os temas da atualidade.

Além de áreas dedicadas, entre outras, à “propaganda”, géneros jornalísticos, “bad news”, “mind games”, fotojornalismo e “guerras”, os visitantes podem ainda conhecer uma galeria de homenagem perpétua aos jornalistas e um espaço de realidade virtual sobre o futuro da comunicação.

Numa réplica do estúdio da Rádio Clube Português pode ser lido o comunicado do Movimento das Forças Armadas difundido na madrugada de 25 de abril de 1974.

O museu abre ao público a partir das 09:30 de hoje, com bilhetes entre os quatro (crianças e parceiros) e os oito euros (adultos). (TVI24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA